Lisboa – Em representação dos outros sócios, o general Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa”, entregou nesta segunda-feira (12), às autoridades, a empresa Zahara Comercial, que de acordo com dados do Despacho Presidencial 168/16 de 8 de Junho, tem a tutela da rede de supermercado angolano “KERO”. Depois de formalizada a entrega, a Procuradoria Geral da República (PGR) determinou que o fiel depositário passa a ser  o Ministério da Indústria e Comércio de Angola.

Fonte: Club-k.net

O Grupo Zahara (na qual integra a Zahara Comercial), é detido pelo grupo Aquattro Internacional pertencente a Manuel Domingos Vicente, Hélder Vieira Dias “Kopelipa”, Leopoldino do Nascimento; e ao coronel João Manuel Inglês, antigo assistente de “Kopelipa”.

 

Segundo apurou o Club-K, a entrega deste grupo empresarial foi uma antecipação encorajada por “Kopelipa”, junto de outros sócios de que deveriam faze-lo no seguimento no programa de combate a corrupção que tem levado ao Estado confiscar todos os empreendimentos constituídos com fundos públicos. Inicialmente, os outros sócios terão divergido com a posição de “Kopelipa”, encorajados pelo argumento de que esta rede de supermercado foi erguida com um empréstimo cedido pelo Banco Atlântico, e não necessariamente com fundos públicos. A parte do Estado, segundo entendimento dos sócios terão sido os incentivos fiscais.

 

A rede de supermercado KERO é considerada em meios empresariais como a que mais beneficiou de privilégios ou incentivos fiscais por parte do antigo executivo de José Eduardo dos Santos.

 

Na verdade, o KERO beneficia de isenção no imposto industrial que obriga as sociedades comerciais a pagarem 30% dos seus lucros ao Estado angolano. Para actividades de explorações agrícolas, aquícolas, avícolas, pecuárias, piscatórias e silvícolas a taxa é de 15%.

 

No ano de 2016, o então PR José Eduardo dos Santos aprovou seis decretos a favor de empresas do grupo Zahara, como incentivos fiscais e aduaneiros. A medida de JES foi na altura justificada como benefícios aduaneiros, nos termos da lei do investimento privado.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: