Luanda - Não vi desfile de camisolas partidárias ou paradas de multidões envergando indumentárias partidárias, da OMA, da Jota ou bandeiras e slogans do partido em Saurimo. Durante a recepção do Chefe de Estado em terras da Lunda, o povo uniu-se para receber o Chefe de Estado. De todos.

Fonte: Facebook

Assim vamos construindo a nova cidadania em Angola.

Corrigir sempre o que está mal é o nosso lema.


E nisso, o MPLA deve continuar a dar o exemplo.


Agora, reunamos também força e coragem para pôr fim à publicidade gratuita, nos órgãos da comunicação social do Estado, às marcas e material de propaganda dos partidos políticos angolanos.


Em meu entender, qualquer actividade política partidária que se pretenda fazer passar pela TV, em que membros deste ou daquele partido pretendam "aparecer" envergando as camisolas partidárias, publicitando o seu partido, deverá o partido beneficiário pagar pela publicidade, pelo tempo de antena publicitário utilizado, igual como pagam as empresas que pretendem publicitar a marca dos seus produtos.


As actividades dos partidos devem ser publicitadas, mas devem fazê-lo sem uso de.material de propaganda sob pena de a pagarem ou não beneficiar do tempo de antena, que julgo ser um produto como qualquer despesa pública que deve ser valorizado e contabilizado, pois acarreta custos públicos afectos a todos os cidadãos do país.


Entendo mesmo que os membros dos partidos políticos angolanos, deveriam a partir de agora, começar a mudar de mentalidade.


Quem pretendesse exibir o seu boné na TV, o crachá, a linda camisola do seu partido poderia fazê-lo, livremente, mas não pelos ecrãs dá televisão pública, a não ser que pague, na tesouraria da empresa pública de comunicação, o tempo de antena que necessita. Os partidos beneficiam de verbas como instituições de utilidade pública. Podem usá-las para publicitar suas actividades políticas, suas maratonas ou suas reuniões!


Os membros dos partidos devem apresentar-se nas suas actividades como pessoas civis, como cidadãos normais vestidos com atavio urbano, rural ou regional.
Isto de andarem a exibir logomarcas, bandeiras ou bonés pela TV de borla, deve acabar. Ou os partidos pagam pela publicidade ou a reportagem não passa, até se habituarem a nova postura cidadã.


Já acabou o monopartidarismo e já acabou a guerra. Nada de disputas numéricas em tempo de produção e trabalho.


Que aguardemos todos pelos períodos eleitorais para cada um mostrar o que quiser: o quanto vale o quanto tem de.membros.


Em dias de trabalho normal ou de descanso, os cidadãos devem se comportar como gente civilizada, com o urbanismo e decência indumentária apropriada. Imaginem os deputados andarem pelos corredores da assembleia legislativa e pelas ruas de Luanda vestidos com as camisolas dos seus partidos?!?! E a nossa TV a entrevistar o deputado amarelado, de verde e vermelho ou de vermelho e preto?! Imaginem!!!


Será que Angola não pode ser um país normal, pacificado e em franco progresso?
Ainda bem que demos por findo o mau costume da recepção do Chefe de Estado como militante do MPLA, com bandeiras, ou cânticos do MPLA, nos aeroportos ou nas instituições do Estado.

Ainda bem.

Somos todos angolanos, antes de mais!

Que viva a nova cidadania!

Boa segunda-feira a todos, e mãos à obra!

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: