Luanda – A UNITA alterou este semana, o seu modelo dos seus comunicados de imprensa, depois de na semana passada ter enfrentando um episódio em que alegados membros do regime teriam forjado um nota de imprensa em seu nome desconvocado a manifestação da cidadania promovida por jovens da sociedade civil. Esta semana, o partido liderado por Adalberto Costa Júnior passou a ter um comunicado (em scaneado em PDF, não mais em words) com novas medidas de segurança e também com os devidos carimbos da organização.

Fonte: Club-k.net

Regime distrai   UNITA com  guerra de desinformação 

Para além do falso comunicado em seu nome, a UNITA foi confrontada no passado dia 25 de Outubro com uma outro documento forjado, em seu nome, em que os faziam-se passar vice-Presidente da organização, Arlete Leona Chimbinda (na foto) simulando que está havia pedido demissão do cargo.

 

Uma alta responsável, Albertina Ngolo, recorreu as redes sociais esta semana denunciando tratar-se de falso documento. “É falsa, descabida e eivada de mã fé a notícia que circula pelas redes sociais segundo a  qual,  a mesma terá colocado o seu lugar à disposição”.


De acordo com constatações, desde que passou a defender realização das autarquias que a UNITA tem sido retaliada com campanhas de desacreditação, que anteriormente era da exclusividade de oficial da segurança de Estado, Carlos Alberto em colaboração com um jovem recrutado das fileiras da própria UNITA que combate o partido usando o pseudônimo de “Eloi Jamba”.


Na semana passada, elementos ligados a sede do MPLA, foram também visto a distribuir nos grupos de whatsup, textos fazendo-se passar por militantes da MPLA exaltando as politicas do governo e por outro lado criticando a direção do “Galo Negro”. Na semana passada, elementos ligados a sede do MPLA, foram também visto a distribuir nos grupos de whatsup, textos fazendo-se passar por militantes da MPLA exaltando as politicas do governo e por outro lado criticando a direção do “Galo Negro”. A mesma rede ligada ao regime  têm usado as redes sociais  insinuando que a família do antigo Presidente  José Eduardo dos Santos  estaria a patrocinar/financiar  a  UNITA  para fazer manifestação exigindo eleições autarquias.


A campanha atribuída ao regime, contra a UNITA e em especial ao seu novo Presidente Adalberto Costa Júnior é destinada a desgastar a sua imagem até as eleições de 2020. Sectores tradicionais da UNITA, interpretam a campanha contra o seu líder como indicador do desconforto do MPLA, em ter Costa Júnior a enfrentar João Lourenço no próximo pleito eleitoral.


Para Sousa Jamba, antigo tradutor de Jonas Savimbi, “A qualidade da propaganda contra a UNITA e seu presidente Adalberto Costa Júnior está baixa de mais. Em 1985, lembro-me do Doutor Jonas Malheiro Savimbi louvar a qualidade da propaganda dos seus adversários”.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: