Luanda - O Serviço de Investigação Criminal tomou conhecimento de uma notícia posta a circular pelos órgãos de comunicação social e redes sociais, dando conta que 2 crianças, teriam sido violadas sexualmente e estranguladas, antes de serem largadas numa escavação para tanque de água.

Fonte: SIC

Sobre assunto, importa esclarecer que estas informações não correspondem com a realidade dos factos, pois as menores, estudantes, conhecidas por C. N. A.M de 8 anos e A. A de 6 anos, foram removidas, neste Domingo, por volta das 10h00, em Cacuaco, por presumível diagnóstico de Afogamento.

Referir que de acordo declarações prestadas pelo progenitor de uma das vítimas, as menores que por sinal são primas e vizinhas, foram dadas como desaparecidas na passada sexta-feira, 13 de Novembro de 2020, por volta das 10h00.

Desesperadas, embora não dando a conhecer as autoridades, a família partiu para uma intensa campanha de procura durante a sexta-feira e sábado último, mas sem sucesso, foram ainda colocadas informações nas redes sociais para a sua localização, situação que ainda gerou aproveitamento de pessoas de má fé, que por via disso ainda queriam extorquir dinheiro à família para um falso resgate.

Realçar que na manhã de domingo os corpos das menores emergiram da escavação do tanque de água de onde foram imediatamente removidas.

Na sequência dos factos os corpos das menores foram submetidos à autópsia médico-legal, em que concluiu-se que a causa de morte foi asfixia aguda devido a penetração de água nas vias respiratórias como consequência de afogamento na água, conforme dados da perícia médico-legal.

Salientar que não obstante os dados ora obtidos, diligências prosseguem em coordenação com outras forças e as comissões de moradores local, para apuramento de mais elementos desta infeliz situação.

Todavia, o Serviço de Investigação Criminal endereça à família enlutada os mais sentidos pêsames e apela as demais famílias maior atenção no cuidado com as crianças e sempre que se notar o seu desaparecimento, comunicar imediatamente às autoridades policiais.

GABINETE DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL E IMPRENSA DA DIRECÇÃO GERAL DO SIC EM LUANDA, AOS 16 DE NOVEMBRO DE 2020.-

O DIRECTOR
MANUEL HALAIWA
//SUPERINTENDENTE PRISIONAL//



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: