Lisboa - O Tribunal Supremo de Angola encomendou viaturas cujos termos estão a dar azo a desconfianças de ocorrências de anomalias. Segundo apurações, trata-se de um dossiê deixado pelo antigo Presidente do Tribunal Supremo, Rui Constantino que visava a aquisição de 500 viaturas de marca prado para os juízes de primeira instancia.

Fonte: Club-k.net

Mais de  USD 30 milhões para compras sem concurso público 

Com a entrada no ano passado, de Joel Leonardo, como novo Presidente do Tribunal Supremo, este chamou a si, o dossiê refazendo os contratos ao indicar um novo fornecedor (Grupo Boavida) nos termos por si desejados.

 

A nível da magistratura angolana, o assunto tem gerado suspeitas sobretudo pelo facto de a compra das 500 viaturas terem sido efectuadas sem concurso público e por outro lado o Presidente do Supremo ter concentrado o dossiê e ao Grupo Boavida, apresentando como tendo boas relações consigo.

 

Um site especializado em venda de viaturas do Dubai indica que cada prado GX, nos Emirates Árabes Unidos custa 60 mil dólares. Caso o fornecedor fosse, desta localidade, o Tribunal Supremo gastaria 30 milhões de dólares para a compra dos Prado GX. Segundo, indicadores, tendo em conta que em Angola, as viaturas em referencia são mais caras, a aquisição da encomenda deverá ser superior ao valor se comprado no Dubai.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: