Luanda - Abordagem de Agostinho Lopes Kamuango, Secretário-geral da JURA, no diálogo com Presidente João Lourenço, realizado hoje 26 DE Novembro de 2020, as 10 horas no CCTA.
.
Em primeiro lugar começo por saudar todos presentes, em particular o presidente da Republica.


Excelência senhor Presidente, lembrar que no âmbito, das políticas voltadas a juventude, o
executivo angolano definiu como principais linhas estruturantes as seguintes:
.
1º Facilitar a inserção de jovens no mercado de trabalho.

2º Melhorar a qualidade de vida dos jovens no domínio da saúde e habitação.

3º Promover o envolvimento dos jovens nos grandes objectivos da democracia participativa e desenvolvimento social.

4º Criar um quadro institucional adequado, para promover as políticas do Estado para a juventude.
.
6º Excelência, na prática os seus resultados ficaram a quem das expectativas da juventude.

7º Número de jovens no desemprego aumentou substancialmente,

8º Ao par do emprego, o acesso a habitação, constitui um dos principais problemas da maioria da juventude angolana.

9ºA precaridade dos serviços de saúde de educação em Angola é preocupante.

10º Ausência de políticas claras de fomento ao empreendimento e a excessiva burocracia no acesso ao micro crédito.

11º A fraca aposta nas cooperativas, a débil estrutura de formação técnica ou profissional no país preocupa a todos nós.

12º Regista-se um recuo quanto ao exercício de direitos e liberdades constitucionalmente consagrados, e constantes atropelos ao estado democrático de direito.

13º Senhor Presidente, ausência de um calendário nacional, sobre os objectivos estratégicos do país e o adiamento sinedie das autarquias locais, constituem uma negação a participação dos jovens nos processos de democratização o que remete a juventude a caminhar sem perspetiva alguma.

14º Excelências querem autarquias em 2021, em todos os municípios e em simultâneo.

15º É imperioso fazer-se a revisão da constituição, assim como a reforma do Estado.

16º Ausência no país da lei da juventude, e a inexistência de uma data consensual da celebração dos jovens, em nada contribuí para uma convivência harmoniosa.


17º Dá-se pouca atenção as carreiras dos jovens, nas Forças Armadas e na Policia Nacional, mesmo sabendo que muitos destes são bastantes competentes, acrescento a onda de aliciamento aos jovens que pensam diferente representa uma ameaça para o futuro do país.

Excelência não havendo tempo suficiente para expor tudo que trouxemos, vamos através de um memorando fazer chegar ao Senhor Presidente,


Termino por dizendo que o diálogo com a juventude seja permanente, abrangente e sincero.

Agostinho Kamuango Lopes



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: