Luanda  – Por via dos seus advogados, o ativista Domingos José da Cruz, deu entrada no passado dia 26 de Novembro, na PGR-Angola, uma participação contra o Conselho Nacional da Juventude (CNJ) depois de tomar conhecimento por intermédio das redes sociais que o seu nome constava numa lista de candidatos a residências no Projecto Habitacional Vida Pacifica, distribuídas pela instituição chefiada por Isaías Kalunga.

Fonte: Club-k.net

Assim que tomou conhecimento da divulgação da lista, Domingos da Cruz, manifestou estupefato, por se encontrar no exterior do país, sem que tenha mandatado alguém com poderes especiais para o referido processo, tendo feito uma nota de repudio contra os promotores da referida lista, no caso o CNJ, por forma a salvaguardar o seu bom nome e reputação.

 

Domingos da Cruz que há mais de dois anos desenvolve pesquisas acadêmicas no exterior do país, alega que nunca participou em qualquer encontro com o CNJ ou delegou poderes a terceiros para o seu nome aparecer na referida lista, pelo que não aceita o uso indevido do seu nome para alcance de objetivos políticos inconfessos.

 

Tendo em conta ao uso indevido do seu nome pelo CNJ, que constitui uma violação ostensiva do direito ao bom nome e reputação, o mesmo, na missiva enviada a PGR solicitou a abertura de um inquérito com vista a se apurar a responsabilidade do CNJ na publicação da referida lista, seguindo-se os ulteriores termos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: