Kwanza Sul – Eliseu Segunda Miranda, mais uma vez, mostra que tem grandes problemas de gestão de recursos humanos e com as pessoas dentro das organizações e instituições, mostrando de primeira não ser um líder mas sim um criador de institucional de conflitos.

Fonte: Funcionários do Amboim
Amboiim.jpg - 82,11 kBVários são os seus relatos da sua gestão conflituosa na JMPLA, onde depois de chegar ao poder mudou passear, todos aquele que até legitimaram o seu poder.

Criou muitas alas dentro da JMPLA, o que levou muitos militantes sérios e com grande poder dinamizador a saírem e outros a deixarem de dar o seu melhor, ficando apenas a ver o JMPLA do camarim, tudo por culpa do grande e conflituoso Eliseu.

Fruto da sua gema de grande conflituoso, a JMPLA no Kuanza Sul deixou de ter representação entre os assentos parlamentares, por ele não querer partilhar ideias de grupo mas fazer sempre as coisas pelas costas do grande grupo.

Talvez por isso que o general Eusébio de Brito, deixou de olhar para o seu rosto como um aliado político no seio partido, mas sim como um grande intriguista destruidor de grandes organizações.

Estamos lembrados que o Eliseu Miranda, quando chegou a primeiro da JMPLA e consequentemente a deputado, deixou de olhar a ouvir algumas figuras próximas a si que muito lhe ensinaram no ABC da gestão política como são os casos de: Elche Horácio, Simão Afonso (de feliz memória), Kota Teodoro, Manuel Rosa da Silva, Agostinho Cassessa, Adérito Jorge, António Benjamim, António Wenga Franco e tantos outros.

E muitos destes até foram seus aliados na liderança viviam num sufoco total. Criou alas na JMPLA e inclusive grupo de prazeres sexuais. Recentemente com a imagem gasta do governador Capapinha, fez sair uma nota de apoio que não teve em ponto de acordo com o Secretariado da Comissão Executiva e logo mostrou a sua garra da bajulação.

Quando as coisas deram para o torto confessou que nos círculos de amizade e familiares que foi Job Capapinha quem lhe mandou fazer a tamanha aberração. Agora que mereceu a confiança do governador Capapinha para administrador do Amboim, logo que chegou aliou-se com o seu conterrâneo Horácio, seu amigo de infância na Conda, antes dele ir para Gabela estudar, na década de 80.

Horácio é oficial da Segurança de Estado, exercendo a função de delegado no Amboim e estão agora com um plano macabro para com o município do Amboim.

Administração do Amboim antes da sua chegada

Há quatro meses no poder como administrador municipal, o saneamento era dos melhores depois de uma plano gizado mesmo com parcos recursos do anterior administrador Francisco Mateus. Como fazia na JMPLA, o seu trabalho hoje virou apenas ameaçar os gestores e detentores de cargos na administração.

Mesmo aqueles que são “tecnocratas”, estão a viver uma terrível perseguição por parte do administrador Eliseu Segunda Miranda que juntou ao seu lado para “melhor se Blindar” o delegado municipal do SINSE, este nas vestes de administrador sombra.

Só para lembrar que o governador do Kuanza Sul, apesar da sua má-governação, diga-se de passagem, valoriza e aposta nos quadros locais.

Se a mais alta figura do província teve esta coragem de apostar nos quadros locais mesmo desconhecendo a maior parte, porque é que o Eliseu Segunda Miranda quer destruir o ambiente laboral do Amboim, um município que, historicamente, já foi a capital dos grandes quadros que aguentaram esta província, só porque trabalharam com o antigo administrador.

Primeiro, aqui queremos nós os subscritores deste texto, lembrar que desde a sua nomeação nunca foi uma pessoa consensual nas organizações onde passou.

Os conluios da “micha”

Eliseu Segunda Miranda tem como administrador sombra o actual Delegado do SINSE, que tem toda decisão para todos os assuntos da Administração e inclusive tem decisão para aprovação de rubricas e no pagamento de algumas ordens de saque.

Horácio começou um combate declarado as empresas que prestavam serviço a Administração, algumas delas até com um valor patriótico, mesmo quando a Administração não tinha dinheiro sempre apoiaram e prestaram serviço a Administração.

O Combate é tão declarado e acérrimo que o próprio delegado do SINSE até assume, em público em bom tom, que nós não vamos pagar todos os empresários que prestaram serviços nas anteriores administrações, esquecendo-se que estes empresários empregam pessoas e muitos deles têm contribuído para o bem social do município, sustentando suas famílias.

Já percebeu o Eliseu que muitas das anteriores empresas estão bem legalizadas e prestam um trabalho normal e que ele “pode não apanhar uma micha” então há três meses que está na Gabela criou a sua empresa para recolher o lixo, com procedimento menos claro. A suposta empresa não faz o devido trabalho, sendo que a mesma vai servir para lavandaria de dinheiro do erário público.

E para o desiderato dos seus intentos, Eliseu tem consigo o director do Gabinete Provincial do Ambiente, Correia Lungingi, que pretende fazer sair uma nota que todas empresas de lixo não têm as referidas licenças.

Mas a grande intenção de Correia Lingigi da Silva, um homem que nunca fez nada pelo ambiente, sendo dos sectores mais fracassados da governação local, é mesmo blindar a empresa fantasma do Eliseu, seu amigo.

A clara intenção de afastar as empresas que lá estão já é sabida. Mas deveria o Correia, director do Ambiente, saber que todas empresas que estão dedicadas a limpeza e saneamento básico no Kwanza Sul apareceram de forma emergencial devido o saneamento lastimável que muitas cidades apresentavam.

Agora o senhor director do Ambiente deveria conversar e facilitar o processo ao invés de ameaçar para favorecer a empresas que lhe favorecem ou lhe dão alguma micha.

Negócios obscuros da Administração do Amboim

Todos gabelenses sabem que Chico Celeste foi o grande e maior destruidor do meio ambiente naquele cidade, com a sua empresa “Fera Ferida”. Foi ele que derrubou todas as árvores do município e nunca replantou nem uma apenas.

A Gabela que tinha dos grandes climas deste país. Ele tem uma grande técnica de corrupção e de dar micha ou comissão a todos os governantes, razão pela qual ele se torna querido entre os maus governantes que gostam de desta praticas negativas para o país.

Senão vejamos:
- Chico Celeste é uma pessoa que nunca foi seria com os projectos de governação na qual sempre ganhou concursos públicos. Na própria cidade da Gabela ele sempre fez obras de má qualidade.

Antes ele desistiu do projecto do lixo, deixando a Gabela numa lástima e nojenta e queria ainda assim receber o dinheiro. Quando lhe foi cortado o dinheiro, sem trabalhar, ele deu as costas a Administração e ao administrador, deixando de trabalhar em prol da Administração.

Você que está a ler este texto, o Chico Celeste tem projectos por terminar na Quilenda. Abandonou obras no Quirimo, comuna da Quilenda, cujas mesmas foram pagas na totalidade e não terminou e nem quer terminar. Agora está na cidade do Sumbe fazer o seu péssimo trabalho na área de iluminação onde ele não tem licença para tal.

É só para ver como a empresa do Chico Celeste está a trabalhar na iluminação do Sumbe, sem condições algumas, apresentando um resultado triste. Apenas porque os governantes querem sempre comissão. E lembrem-se que Chico Celeste (Francisco Rua) é o “rei das comissões” para os governantes quelhe dão as obras, por isso foram recuperar a empresa dele.

SINSE ameaças aos gestores da saúde

Desde que Eliseu Segunda Miranda chegou a Administrador do Amboim, o delegado do SINSE passou a tomar todas as decisões sobre a gestão do município que passam pela sua mesa. Mesmo com especialistas da área, como o Gabinete Jurídico e todas outras repartições, quem aprova todas acções da Administração é o chefe Horácio.

As ordens de saque as dividas que administração tem com os fornecedores quem decide se a administração deve ou não pagar é o delegado do SINSE e não o Administrador e sua equipa. O Amboim está ser um município governado pelo Segurança de Estado, criando ameaça e terror.

Eliseu Segunda Miranda declarou desprezo total ao sector da saúde porque tem muitos trabalhadores que vêm da antiga governação. O município conta com 23 postos de Saúde, e nos últimos anos a assistência médica tem sido eficaz, inclusive a entrega de medicamentos pontuais, ficando apenas por resolver o tempo de funcionamento dos mesmos, pois eles trabalham das 8 as 15 horas devido a falta de quadros.

Com ajuda do delegado do SINSE está montar uma estratégia para corta todo apoio financeiro a repartição municipal de Saúde, ao Hospital do Amboim e ao Hospital da CADA. Já fez ameaças directas ao director geral do Hospital do Amboim e ao director administrativo e o mesmo para a equipa responsável do Hospital Regional da CADA.

A sua saga ameaçadora chegou até a chefe da repartição municipal de Saúde e ao chefe de secretaria da Administração e muitos outros funcionários da Administração Municipal. Começou pelo protocolo onde um cidadão, sem ética, de nome Jindungo é o novo responsável. O Porque ele está em tudo e todas e também dizem ser ele “o managger” para os grandes assuntos tradicionais do Administrador do Amboim.

Eliseu Segunda Miranda não é o Administrador ideal para o nosso município o que pedimos a sua retirada urgente. Rogamos ao delegado provincial do SINSE que chame atenção ao seu representante no Amboim, o Horácio, por estar a manchar o bom nome que da vossa instituição, que em vez de defender a integridade territorial do Estado.

Gabela, aos 06 de Dezembro de 2020

Os Funcionários da Administração do Amboim, do Governo Provincial e Militantes do MPLA.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: