Luanda - O Parlamento angolano votou hoje por unanimidade a expulsão do controverso e conflituoso membro ERCA Carlos Alberto, que já se encontrava suspenso das suas funções desde finais do ano passado.

*Paulo dos Reis
Fonte: Club-k.net

"Não apresentou diploma e  fazia se passar por licenciado"

Cento e 71 votos a favor, uma abstenção e um voto contra do deputado independente David Mendes ditaram a perda de mandato na ERCA de Carlos Alberto.


Esta votação deixa cair por terra o argumento usado pelo referido jornalista que há dias anunciou numa conferência de imprensa a sua renúncia a ERCA quando, na realidade, o mesmo já tinha sido expulso, faltando apenas a votação da Resolução no plenário da AN.


Na dita conferência de imprensa em que os jornalistas não tiveram direito as perguntas, Carlos Alberto aproveitou a ocasião para anunciar a abertura do seu jornal digital. Trata-se de um jornal que está a ser visto com alguma desconfiança depois do antigo membro da ERCA ter sido associado aos serviços secretos.


Durante o tempo que permaneceu na ERCA, Carlos Alberto que foi indicado pela UNITA destacou-se pelos diversos conflitos que arranjou com quase todos os membros daquela instituição, sobretudo o seu presidente o veterano jornalista Adelino de Almeida.


No acto da sua suspensão, a ERCA revelou que Carlos Alberto não tinha apresentado o seu certificado de habilitações literárias, já que ele se fazia passar por licenciado.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: