Luanda - O MEA-Movimento de Estudantes de Angola protagoniza um novo braço de ferro desta feita com o Instituto Superior de Ciências de Educação devido a uma disputa sobre o pagametno de propinas.

*Manuel José
Fonte: VOA

O MEA diz que segundo o decreto conjunto 242/20 de 6 de Outubro as instituições de ensino público e privada do ensino superior não devem cobrar propinas e pagamentos superior a 10 meses mas o ISCED, está a cobrar 11 meses.

 

O MEA ja avisou que se o Ministério do Ensino Superior não intervir para que o ISCED corrija e deixe de cobrar 11 meses, vai recorrer ao Presidente da República e à Procuradoria Geral da República.

 

"O ISCED não foi construído com dinheiro da família do Decano para fazer o que quiser e o ministério do Ensino Superior também mantém-se em silêncio, se esta situação se mantiver nós vamos recorrer ao PR e à PGR", disse o presidente do MEA Francisco Teixeira que disse no entanto ter “esperança que eles retomem a lei”.


A direcção do ISCED diz em resposta aos estudantes que o decreto não os abrange e por isso vão cobrar sim 11 meses de propinas aos estudantes

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: