Lisboa - A Unitel pretende contestar empréstimos feitos a Isabel dos Santos para passar a deter 26,075% das ações da NOS, detidas indiretamente pela empresária. A empresa de telecomunicações angolana Unitel vai avançar para tribunal com o objetivo de chamar a si o controlo da participação acionista que a empresária Isabel dos Santos tinha na NOS, noticia o “Expresso” esta sexta-feira.

Fonte: Jornal Económico

A Unitel pretende contestar empréstimos feitos à empresária para esta passar a deter ações da NOS. Em causa está uma participação de 26,075%. Segundo o semanário, que cita o ativista angolano Rafael Marques, as ações na NOS terão sido compradas “ao abrigo de um empréstimo feito pela Unitel à própria Isabel dos Santos”. Uma equipa de advogados do operador já terá intentado, num tribunal de Lisboa, uma ação para controlar a participação de Isabel dos Santos na NOS.



A empresária angolana Isabel dos Santos, que detinha 25% da Unitel, através da Vidatel, perdeu o controlo da empresa, após uma decisão do Tribunal Supremo das Ilhas Virgens Britânicas, em dezembro de 2020. Nove meses antes, em março de 2020, o Tribunal Central de Instrução Criminal já tinha arrestado 26,07% das ações da NOS, controladas indiretamente pela empresária angolana Isabel dos Santos.


A ZOPT é o acionista maioritário da NOS, detendo 52% do capital. Isabel dos Santos e o grupo Sonae, controlam cada, uma metade da ZOPT.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: