Luanda - Amilton da Gama nasceu no bairro da Ingombota, em Luanda, em 1991, há 29 anos, filho de Pascoal Félix, natural do Huambo, e de Ângela Marília do Nascimento Pereira da Gama, natural de Luanda.

*Rui Ramos
Fonte: JA

Membro de família ligada à política, quer do lado paterno como materno, Amilton da Gama cresceu e viveu até aos 18 anos com a falecida mãe e mais três irmãos no bairro Nelito Soares, no Rangel, uma vida muito modesta na qual não faltavam as frequentes dificuldades do dia- a- dia, pois os proventos eram escassos e irregulares”.

Os primeiros estudos foram feitos nas escolas Nossa Senhora da Luz e Ngola Kiluanji. Não possuindo valores para o transporte, Amilton Gama percorria todos os dias a pé a longa distância entre a sua casa e a escola mas nunca desistiu de estudar.


Eram muitos quilómetros para serem percorridos a pé por uma criança, numa altura em que o índice de criminalidade nas escolas de Luanda estava em alta, isto nos anos de 2006 a 2008. "Uma vez fui vítima de um grupo de marginais que ficavam no muro da escola 1º de Maio, assaltaram-me e receberam a mochila e o meu único par de ténis.”

Apesar do terror que os assaltantes lhe causaram, Amilton da Gama não desistiu de ir às aulas, assistiu descalço porque só tinha um par de ténis. Em 2009, Amilton da Gama muda-se para a província do Huambo a convite do seu tio Leny, a fim de dar sequência à formação académica. Passou a residir com os seus avós, que, muito pobres, "consentiram todos os sacrifícios” para verem o neto estudar e formar-se, um pedido feito expressamente pela falecida mãe de Amilton Gama.

Dois anos depois, Amilton da Gama termina o ensino médio no Colégio Adventista do Sétimo Dia no curso de Ciências Económicas e Jurídicas. Nos anos seguintes, de 2012 a 2016, faz a licenciatura no Instituto Superior Politécnico Sol Nascente em Ciências Políticas e Relações Internacionais. "Passava todo o meu tempo a estudar, não tinha vida social, eu queria formar-me sem me desviar do meu objectivo, isolei-me durante todo o curso, a maior parte das vezes na biblioteca do instituto e normalmente estudando de noite em casa, vencendo o sono e a fome.”

Mas foi antes, em 2009, aos 18 anos de idade, recorda, que descobriu a sua paixão pela política, influenciado pelos seus familiares. E então Amilton da Gama ingressa no MPLA, começando a militar activamente na JMPLA até 2015 e não mais parando de desenvolver uma intensa actividade política. Amilton da Gama foi secretário para o Associativismo e Intercâmbio Juvenil do Comité de Sector do Kapango. Em Fevereiro de 2016 integra a delegação da JMPLA da província do Huambo presente na 14ª edição do Campo de Férias dos Estudantes Universitários realizado no Namibe.

"Em Julho de 2016 passo a membro do Comité do Ensino Superior da JMPLA na província do Huambo e em 2017 sou nomeado segundo-secretário do Comité do Ensino Superior da JMPLA na província do Huambo. Meses depois é eleito primeiro-secretário do Ensino Superior da JMPLA, cargo que desempenhou até Maio de 2018. Em Dezembro de 2019 passa a membro da Brigada Provincial da JMPLA de Moralização da Sociedade na Província do Huambo, no âmbito do lançamento da Brigada Nacional de Moralização da Sociedade "Angola Nossa Terra Nossa Mãe”. Em Julho de 2020 é Convidado Permanente do Comité Municipal da JMPLA no Huambo.

Desde 2015 escreve artigos de opinião sobre assuntos políticos nacionais e internacionais para vários órgãos de comunicação. Em Julho de 2017, participou no estudo de sondagens de opinião sobre as eleições gerais de 23 de Agosto, realizado pelos institutos superiores Sol Nascente do Huambo e Jean Piaget de Benguela. Em Maio de 2019 participou no debate sobre Marketing Político no programa televisivo Nossa Geração da TPA2. No ano passado, foi convidado a dissertar temas sobre Marketing Político e Digital, bem como a Juventude e a Política Actual, nos Seminários de Capacitação Política e Ideológica de realização dos Comités Municipais da JMPLA no Huambo e posteriormente no Bailundo dirigido aos cyberactivistas do MPLA das municipalidades.

Como jovem, o maior desafio de Amilton da Gama, diz-nos, é contribuir para que Angola se torne um país bom para se viver e uma referência continental. Actualmente é director administrativo da Escola de Segurança Privada de Angola, no Huambo. Um pensamento: "As pessoas não vivem como pensam, elas pensam como hão de viver” (Dr. Agostinho Ndjaka).

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: