Luanda – Para dar uma melhor resposta na cobertura de recolha comunitária de lixo no município de Viana, em Luanda, face aos amontoados de lixo que se observa a céu aberto nas vias públicas, a direcção da empresa "Afritrack-Angola" (Construção Civil e Indústria, S.A), com sede na zona industrial de Viana, no âmbito da sua responsabilidade social, convida às empresas sediadas no município, a fim de esforços para realizar uma campanha de limpeza nas zonas de maior acumulado de lixo e outros resíduos sólidos

Fonte: Club-k.net
Afriii.jpg - 70,92 kBSegundo o documento chegado à redacção do Club-K, a perspetiva da "Afritrack" para recolha de lixo e outros resíduos sólidos, que, de alguma forma, atenta contra saúde pública, visa mobilizar o maior número de parceiros (empresários) possíveis, no quadro das suas responsabilidades sociais, para que de forma solidária se preste um serviço de limpeza em todas as artérias do município de Viana para o bem-estar das comunidades em termos de saneamento básico.

O documento explica igualmente que, para se manter um saneamento básico salutar nas comunidades, é necessário que toda população também se mobilize e participe das campanhas desenvolvidas para o efeito, numa altura em que a capital, com alguma particularidade o município de Viana, neste caso em concreto, regista muitos amontoados de lixo nas vias pública, o que acaba sendo uma ameaça à saúde de todos nós.

Após o apelo da governadora provincial de Luanda, Joana Lina, para a mobilização e participação voluntária da sociedade civil na recolha de lixo nos bairros da capital, desde 15 de Fevereiro último, a empresa "Afritrack-Angola" decidiu participar no processo, tendo já recolhida mais de 30 toneladas na via que liga polo industrial e até nos blocos (na Vila de Viana).

De realçar que, o ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos, revelou no final da sessão da Comissão Económica do Conselho de Ministros que a cidade de Luanda produz 6,3 milhões de toneladas de resíduos sólidos por ano.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: