Lisboa - O Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço está em vias de provocar um acto de “irritação política”, ao seu principal adversário político, Adalberto Costa Júnior, recebendo no palácio presidencial, uma delegação integrada por filhos do líder fundador da UNITA, Jonas Malheiro Savimbi.

Fonte: Club-k.net

A iniciativa do encontro partiu dos próprios filhos de Savimbi, que a quando ao enterro do seu pai, em Junho de 2019, endereçaram uma carta ao Presidente da República agradecendo pelo papel que teve em ter facilitado o processo de reenterro, do falecido líder da UNITA, na aldeia de Lopitanga. Na carta, os subscritores acrescentaram que conforme mandam as tradições africanas gostariam de se recebidos pelo Presidente João Lourenço para apresentar pessoalmente o seu agradecimento. Passado dois anos, os filhos de Savimbi foram surpreendidos com uma resposta de João Lourenço marcando o encontro para as próximas semanas.

 

Os filhos de Savimbi, segundo apurações, concordaram vir a ser recebidos, apesar de feito o pedido há dois anos. No entanto, terão acertado estratégia para que o encontro não seja aproveitado pelas autoridades para propaganda ou outro aproveitamento no quadro da agenda de combate ao Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior. Um dos planos acertados, é não aceitar falar para a Televisão Pública de Angola (TPA), caso João Lourenço chame para cobertura da audiência.

 

Desde que se tornou líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior nunca foi entrevistado pela TPA e tem sido alvo de campanha constante de sectores do regime de forma a impedi-lo de concorrer às próximas eleições. O combate iniciou com a infiltração de um oficial dos serviços secretos, Carlos Raimundo Alberto, que no congresso de 2019, fez campanha difamatória contra Adalberto Costa Júnior, e presentemente tem trabalhado com grupos internos na UNITA, para sabotagens.

 

Em finais do ano passado, o Presidente João Lourenço teria irritado a UNITA, chamando o antigo líder Isaías Samakuva para se queixar de uma manifestação pelas autarquias que fora apoiada pela UNITA. A quando ao falecimento do general Demostenes Chilingutila, a Rádio Nacional de Angola (RNA) optou por entrevistar Isaías Samakuva para falar das qualidades do malogrado ignorando membros da direção do partido liderado por Costa Júnior.

 

Segundo fontes do Club-K, terão sido estes sinais que levaram os filhos de Savimbi a desconfiar que o Presidente João Lourenço tenha respondido a sua carta dois anos depois, e precisamente neste momento que o regime procura fragilizar a liderança do líder do maior partido da oposição.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: