Lisboa – Um antigo tenente-coronel da UNITA, Amadeu da Conceição Faustino Cortez, recebeu na passada quinta-feira (18), uma residência, em Luanda, pelas mãos das autoridades angolanas, no quadro do seu abandono ao maior partido da oposição, acompanhado de pronunciamentos de que o “Galo Negro” tenciona “promover manifestações para desacreditar e desestabilizar o país”.

Fonte: Club-k.net

“Vou para o partido que esta a mostrar trabalho, o MPLA”

Natural de Catete, Amadeu Cortez fez parte dos serviços de inteligência militar da UNITA, da então Frente Militar Norte, na província do Uíge, onde fora promovido a Subtenente. Após o fim do conflito armado tornou-se Tenente-Coronel no acto de desmobilização militar. Enquanto aguardava pela sua pensão militar trabalhou nas estruturas do partido como diretor de gabinete do antigo secretario geral adjunto Rafael Massanga.

 

Segundo apurou o Club-K, Amadeu Cortez vinha manifestando saturação pelo facto de a sua pensão nunca ter saído, o que precipitou a sua aproximação com o MPLA, por intermédio de contatos animados por um antigo general da UNITA, ligado a Casa de Segurança, João Baptista Tchindandi.

 

Voltado a um quadro de dificuldades financeiras, Amadeu Cortez viu-se desanimado ao ouvir relatos de que altos dirigentes do partido estariam a indicar nomes de alegados familiares e amigos para vagas na Comissão Nacional Eleitoral (CNE), como é o caso do Segundo Vice-presidente da UNITA, Simão Albino Dembo que terá proposto o nome das duas esposas para integrarem nas estruturas deste organismo da administração do Estado. Uma como “comissária provincial” e outra como “comissária municipal” eleitoral.

 

Ao ser apresentado a imprensa como desertor da UNITA, este antigo militar declarou que, "a calúnia é tradição naquela organização responsável pela morte de milhares de cidadãos inocentes.”

 

“Existe na UNITA lutas desenfreadas para os cargos de deputados, comissários da Comissão Nacional Eleitoral e de assessores parlamentares, privilegiando descaradamente familiares próximos, deixando à deriva verdadeiros militantes que tanto deram e não são reconhecidos”, disse.

 

Por fim, Amadeu Cortez anunciou que vai aderir ao MPLA porque no seu entender é o partido que esta a trabalhar por Angola.

 

Entretanto, fonte do Club-K, revela que Amadeu Cortez devido a sua pensão que nunca saiu, o tenente coronel Amadeu Cortez foi aliciado pelos serviços há já um tempo para fins propagandísticos contra a UNITA. A mesma fonte diz não sentirem se abalados porque “Depois dos Punas e Valentim, estes são cachorros, não têm peso nenhum”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: