Luanda - Angola vive momentos nefastos em todas as áreas sociais; se formos aos hospitais encontraremos todas as dificuldades para se tratar um doente normal; se sairmos à rua ou para a rua, nos deparamos com quantidades enormes de lixo e com as chuvas caidas a pouco tempo, esperamos não por vontade, mas porque os factos demonstram que nos próximos meses, se não houver prudência por parte desse Estado, haverá muita cólera, doenças diarréicas, paludismo acelerado, aumento dos sem abrigos e tantas outras problemáticas.

Fonte: Club-k.net

O governo de Luanda, em particular, já não sabe o que fazer. O dito executivo, que comanda faz 45 anos e meio, perdeu a memória. Anda a deriva sem saber que estratégias aplicar para contornar os excessos de mal que nos apoquentam. O lixo orgânico e inorgânico pode ser transformado em bens úteis desde que haja vontade e investimento com responsabilidade. Como sabemos, não existe patriotismo por parte daqueles que tudo fazem em se perpetuar no poder contra a vontade do povo. Poxas pá! Os senhores, nada fazem em prol do povo e nem permitem que outros os façam! De que planeta viestes? Pensais que vivereis para sempre? Sois imortais? Ok! Chegará o dia da verdade e assisteremos a vossa desgraça.


A oposição vive um momento ímpar, momento de auge porquanto filhos reais e comprometidos com o país decidiram unir-se para um amplo movimento unido, em tudo fazer para a almejada destituição do poder do partido estado. Acreditamos que ACJ, AC e JPA são, nesse momento, os caput da praça politica angolana . Mas achamos que é  determinante congregar nesse amplo movimento, depois de apurado, reflectido, analizado com espirito crítico, peneirado todos aqueles que já não se revêem nas politicas do regime. São enormes que na discrição manifestam a dor e a falta de sensibilidade do MPLA em maltratar, abusar e jogar os angolanos como se de tapete se tratassem. São enormes companheiros do MPLA ávidos de mudanças. Mas esses senhores têm de ter coragem de se pronunciar abertamente contra o regime e se posicionar a favor dos angolanos. Tem consequências, mas por Angola, o risco já não mete medo. De igual modo, existem aqueles cidadãos que o MPLA espezinhou, envergonhou, destruiu a todos os niveis e até um certo ponto, reduziu suas riquezas, a essas pessoas pedimos que se juntem a grande frente para a mudança, mas que seja mesmo juntar-se em prol dos angolanos e não servir de agente dúplo.


Senhores presidentes de partidos e projectos de partidos, está na hora de mostrar o peso da vossa união, o peso da vossa popularidade de convencer e congregar. Tendes convosco a sociedade civil, tendes convosco os acadêmicos, conquanto medrosos ainda, mas chegará o momento em que irão seguir-vos com todas as forças, mas ainda assim, estão do vosso lado; muitos do MPLA, também estão; precisáis concertar, raciocinar e agir no momento justo, mas que esse tempo, não seja muito longo para vossas acções pragmáticas que as consideramos nossas. Existem muitas matérias para sair a rua, manifestar com determinação  e exigir a reposição da legalidade dos factos relacionados  a revisão constitucional, a eleição anormal do senhor Manico, a reforma da lei eleitoral, a separação de poderess, os excessos do poder do presidente da república, a eleição directa do mesmo, a não violação de personalidades singulares de concorrer e da pessoa directa de Abel Chivukuvuku, o lixo, a falta de saúde, falta de habitação, os preços exorbitantes dos produtos alimentares, falta de empregos, estradas, saneamento básico, o problema das demolições, a lei de terra… O terreno está fértil para esse cheirinho que acreditamos que iréis convocar na hora certa e no momento certo de forma coordenada mesmo que se faça em conjunto ou separado, os angolanos saberão; mas quanto mais noticias sobre vós naquele dia em que convocardes, mais divulgação será porque três entidades a convocar em suas sedes, acreditamos que seria um marco.


Seja como for, as manifestações devem começar e de forma muito inteligente, ordeira  frequente com determinação e principalmente quando achardes que a hora chegou; só assim, a última lei das autarquias locais será aprovada, só assim, se reporá a legalidade constitucional, somente desse jeito, o presidente da república será obrigado a convocar as eleições autárquicas, legislativas e presidenciais separadamente, só assim a lei eleitoral será observado, o senhor Manico sairá e entrará alguém imparcial , só assim, Dr.Abel Chivukuvuku, não terá problemas de participar activamente nessas e nas próximas eleições, etc, etc. De outra forma, os abusos administrativos serão cometidos por Ele e seus administrativos.


Todavia, exortamos a máxima reflexão e inteligência; o nosso adversário é astuto, mas a vossa inteligencia, humildade e  força do povo, farão acontecer uma nova história em Angola. O povo tem esperança numa Angola melhor a partir de 2022 porque para além de fé que tem, vai estar 24 horas ao vosso lado para exigir com determinação a reposição da legalidade. Com fraude, o MPLA perderá, sem fraude, o MPLA perderá com maioria absoluta. Arrancar-se-á das mãos dos super dotados essa maldade, arrogância e se dará ao demónio.
É hora de manifestar-se senhor Eng.Adalberto da Costa Junior, Dr.Abel Chivukuvuku e Dr.Justino de Andrade se quisermos ganhar tempo para as eleições do próximo ano.


Por: Talangongo Okola e António Correia
    

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: