Luanda - Ninguém está a denegrir o Presidente João Lourenço, nem às instituições do Estado, pois foi o próprio que se denunciou a si mesmo na televisão e não só, como alguém que viola a separação de poderes quando deu entrevistas à RTP e conferências de imprensa a outros órgãos de imprensa nacionais internacionais a fazer-se substituir à justiça e a fazer julgamentos antecipados de cidadãos.

Fonte: TS

O PR deve é parar de interferir nas instituições do estado que são separadas do Executivo, nomeadamente a justiça e o Parlamento.


Interferir no trabalho da justiça é o que o cidadão JLO mais tem feito sem competência para tal, pois foi eleito PR e não juiz e nem está em funções como legislador.


A título de exemplo... sem querer defender a empresária Isabel dos Santos, mas citando apenas factos: O Procurador da República de Angola veio a público em tempos dizer que havia a possibilidade de o Estado Angolano negociar com Isabel dos Santos, porém em seguida o PR apareceu e disse que não há negociação. Neste caso o PR interferiu na justiça ou não???


É caso para dizer que sua excelência o PR de Angola se guia pela máxima “obedeçam o que eu digo mas não façam o que eu faço”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: