Luanda - Com propósitos de acompanhar de perto as movimentações das secretas e os passos de João Lourenço no Dubai, desloquei-me aquele paraíso fiscal, sito nos Emirados Árabes Unidos. Ficou claro para mim, e sei, que tudo o que está por vir da parte de Isabel dos Santos, é deveras demolidor para todos quantos se predispuseram a disputar partes do seu patrimônio nacional e internacional, aqueles que voluntariamente a espezinharam, estão agora na sua linha de tiro.

Fonte: Club-k.net

Os que acompanharam como eu, o desenrolar do novelo decorrentes das acusações contra a engenheira Isabel dos Santos, entenderam com facilidade, que o contra-ataque da filha mais velha de JES, ainda estava verdadeiramente por vir. As provas ora apesentadas as autoridades judiciais do Reino Unido, são apenas parte do aperitivo que o PR João Lourenço, e cumplices irão ter como ementa no próximo jantar de guerra, entre Isabel dos Santos e a confraria de crimes de colarinho branco do MPLA.


A situação do presidente pôde de facto complicar-se dentro de algum tempo, Até hoje, quase ou mesmo ninguém inteligente conseguiu entender as razões que levaram o chefe de estado, a atacar sem lógica e sem logística documental, a reputada empresária Isabel dos Santos, por outro lado, fica difícil descortinar a razão, que levou o presidente a andar a reboque de Manuel Vicente. É estranho que o camarada presidente, conhecido até como um exímio xadrezista, se tenha permitido cometer tais erros de palmatoria.


O PR sabe bem, que angola não é um país a ser governada por amadores, muito menos ter um presidente assessorado por miúdos principiantes, sem estofo político, sem feudo eleitoral e sem qualquer capacidade interventiva credível.


O presidente sabe bem, que o país não está a dormir, apesar do presidente pensar o contrário, é bom que comece a perceber os sinais de cansaço que o povo passa, derivado dos longos 45 anos de (des)governo. Os jovens nasceram com o MPLA no poder, foram estudar dentro ou fora do país, e ao retornarem, o mesmo MPLA continua no poder, não obstante os constantes assassinatos e roubo total do erário público nacional, ainda se lhe pôde adicionar a prepotência e arrogância no modo como o PR lida com o soberano povo.


Esse modus operandi nunca foi escrutinado pelo povo, porque o MPLA sempre se utilizou de esquemas e manobras dilatórias para escapar ao escrutínio. É hora do presidente do MPLA, despertar do sono do tempo, e entender que o povo quer caminhar numa direção contraria a sua.


Respeito e coerência é o mínimo que o cidadão espera daquele que elegeu como seu funcionário maior, para administrar a coisa pública. Logo, isso não dá o direito ao presidente de apossar-se do país e fazer dele uma chitáca para si, sua família e amigos próximos. A sala de visitas de Angola, é a presidência da república, isso significa dizer, que na sala de visita de qualquer casa pública, não é aceitável receber nela gatunos, corruptos e bajuladores de toda ordem.


É inaceitável e mesmo espantoso, que gatunos e corruptos de ontem, sejam hoje tratados como impolutos cidadãos dirigentes do partido no poder! O país está numa fase crescente de falência de valores sociopolítico-culturais e humanos. Aliás, não se entende como a assessoria do PR não se tenha apercebido ainda, que o país navega na lama apodrecida. Isso prova, que as pessoas que rodeiam o presidente da república, são de uma formação cultural e intelectual tremendamente rasteira.


Não adianta recolocar o velhaco Bento Bento, como primeiro secretario do MPLA em Luanda, o senhor Bento, nada mais pode fazer para agregar valores ao MPLA de Luanda. O Bento não traz consigo nada para melhorar a relação entre o cidadão e o MPLA, essa nomeação não passa de mais do mesmo. O povo em geral e os jovens em particular, não se reveem nas práticas prepotentes, mentirosas e arrogantes do seu presidente.


Tudo isso, nada mais é, que a confirmação do pressagio tortuoso que envolve João Lourenço, mas, que de certo modo ele procurou, sabe-se que tudo isso poderia ter sido evitado, caso o presidente agisse de bom senso. Não é mentira nenhuma, que grande parte do que motiva a rejeição do presidente da república, está ligada a low fare, utilização da imprensa nacional e internacional paga a peso de ouro, e a utilização do poder judicial, para perseguir todos quantos não alinhem com o regime.


Todo país, sobretudo em Luanda, já se aguardava um desfecho idêntico ao que está a acontecer. Estava tudo a vista de todos que olham com olhos de ver. Afirmei vezes sem conta, que o jogo jogado estava só no início, afirmei que ainda havia tempo útil para desforra, e o revés acaba de acontecer como já disse, e anunciam sinais e tempos tenebrosos para João Lourenço e parceiros nacionais e internacionais


O presidente antes de tornar-se camicase, deveria levar em conta a sua experiencia de 46 anos ininterruptos no seio da nomenclatura, que o ex presidente JES, seu tutor, poderia estar em posse de documentação nuclear farta, dos actos, aspirações e ambições da pessoa que o sucederia. Não se pôde descorar, que tanto JES, quanto seus mais directos colabores e familiares, envolvidos em negócios multimilionários, deixariam JES, afastar-se do poder desprotegido. É claro e comprovadamente sabido, que JES e sua família, estão na posse de documentação, uma vez usadas, disferirão ataques certeiros e desconcertantes a pessoa de João Lourenço.

Há certezas, que muita documentação aqui referida irá provar o que muitos sabem e também o que outros tantos desconfiam. Porém, sabe-se que tal documentação será usada, e de certo modo obscurecerá a imagem presidencial de João Lourenço de si já bastante deteriorada, sem deixar de fora a imagem de seus colaboradores directos.


A pergunta de 02 milhões de dólares, que não quer calar é; qual das duas partes envolvidas nessa conturbada confusão está mais preocupado nesse perturbador jogo de cartas marcadas? Importa aqui dizer, que foi João Lourenço, que colocou o ex presidente José Eduardo dos Santos no centro desse jogo de cabra cega, que a priori sabia que jamais o ganharia.


Hoje a Isabel dos Santos está no seu lugar jogando o jogo, que bem aprendeu com seu pai poderoso, e desta vez é ela quem dá as cartas. Os que pensaram que JES, o criador seria mastigado e engolido pela criatura, agora já sabem que JES, tem a força da inteligência do seu lado. Sim, JES, ainda é um home poderoso, ele é igualmente perigoso, ele tem lado, e não vai ponderar muito entre ajudar a filha a deixar João Lourenço destrui-la, a sua família está em primeiro lugar. Ou não está! Ora, é claro que JES, já optou pelo lado da família, ou não é verdade?


Seria de uma estonteante idiotice pensar-se que, um animal político da espécie de JES, se retiraria pelo seu pé do poder e não se resguarda-se de qualquer providencial ataque a si e/ou contra os seus. Pensar assim, seria de uma imprudência invulgar para um animal político de enorme envergadura e capacidade interventiva em todas as esferas da vida do país como JES.


Após 38 anos, sair do alpendre do poder desarmado, sem nenhum poder de fogo, seria dilacerante para a pessoa tão idolatrada no passado e também sabedor de que era igualmente odiado. Os simples mortais como eu, podem pensar o contrário do que aqui exponho, com extremo sentido de responsabilidade. Mas esperar que JES deixe sua filha no terreno pantanoso da perseguição, seria uma antevisão surreal.


Um verdadeiro general, jamais age sem logística, pois, isso é no mínimo um erro estratégico impensável, que no horizonte das estratégias de um general comandante se deixe alcançar por pessoas de índole duvidosa como é o presidente João Lourenço. Em política, nem tudo que parece é, mas pode-se prever que haverá grave turbulência na confraria do crime de colarinho branco, e muita lama vai correr no rio das inverdades e mentiras.


A documentação, áudios e vídeos uma vez expostos como se espera, que efeitos essas investidas, causarão a imagem do presidente e do seu staff? Quem sairá mais ferido? A resposta é a seguinte: entre mortos e feridos, o bom mesmo é assistir a contenda de camarote. De outra coisa podemos ter alguma certeza, o PR e seus colaboradores ora denunciados, não são de maneira alguma mais honestos nem melhores, que as pessoas que tentaram tramar com o alarido criado em torno do Luanda leaks.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: