Luanda - A organização ambientalista EcoAngola alertou hoje que o plástico descartável, sobretudo sacos e garrafas, está a ser utilizado de "forma indiscriminada" em Angola, por "falta de consciência ecológica dos cidadãos".

Fonte: Lusa


"O saco de plástico é considerado um dos elementos cruciais nesta batalha contra a poluição plástica por ser consumido de forma indiscriminada, particularmente pela carência de consciência ecológica, consequência da ausência de educação ambiental no país", afirmou hoje a diretora executiva da EcoAngola, Érica Tavares.

 

Para inverter o "preocupante quadro", a EcoAngola implementa um projeto-piloto de conservação e educação ambiental, denominado Angola Sem Plástico, financiado pela Delegação da União Europeia em Angola.

 

Em declarações à Lusa, Érica Tavares deu conta que o projeto tem como objetivo uma campanha de sensibilização sobre o "consumo responsável" do plástico descartável, ou seja, de plástico de uso único, particularmente sacos e garrafas de plástico.

 

Criar um "diálogo entre as principais partes envolvidas no comércio e utilização de plásticos descartáveis e também partilhar boas práticas de consumo responsável e consciente" constam dos objetivos específicos do projeto.

 

Segundo a responsável, a delegação da União Europeia em Angola considera que o consumo é uma forma de abordagem eficaz para uma intervenção sobre a gestão de resíduos em Angola. "particularmente devido à população jovem, as questões económicas e o impacto social e ambiental causado pela rápida expansão dos centros urbanos em Angola", frisou.

 

Campanhas presenciais e online sobre a necessidade do uso responsável do saco plástico descartável decorrem até agosto próximo.

 

O projeto também envolve campanhas de recolha de resíduos, como uma forma de sensibilização e campanhas de sensibilização com atividades culturais.

 

Um estudo sobre a consciência dos cidadãos quanto ao consumo de plástico descartável e a realização de parcerias estratégicas para perceber a quantidade de plástico descartável distribuído diariamente na cidade de Luanda estão ainda entre as metas do projeto.

 

A Agência Nacional de Resíduos Sólidos de Angola anunciou, em 2019, que um total de 12,4 milhões de sacos plásticos era distribuído diariamente em Angola, sobretudo pelos estabelecimentos comerciais.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: