Luanda - O Movimento de Estudantes Angolanos (MEA) mantém a realização da manifestação defronte ao edifício do Ministério das Finanças, em Luanda, no próximo sábado, 17 de Abril, em todas as províncias, em protesto contra à subida de propinas e emolumentos nas escolas públicas e privadas do país.

Fonte: Club-K.net

Segundo um comunicado do MEA enviado ao Club-K, assinado pelo seu líder Francisco Teixeira mantém-se a data marcada para o protesto, por não ter havido entendimento nos encontros entre o Movimento de Estudantes Angolanos e o Gabinete de Preços Vigiados do Ministério das Finanças, na quinta e sexta-feira, último.

A “fracassada” reunião que decorreu na sala de reuniões do edifício do Instituto de Gestão da Administração Pública (IGAP), tinha sido convocada pelo Ministério das Finanças (MINFIN), que de acordo com fonte do Club-K, teve por objectivo persuadir aos organizadores da pretensa manifestação a cancelar a mesma.

O Movimento de Estudantes Angolanos (MEA) exige, entre outras reivindicações, a revogação do Decreto Presidencial 124/20 de 4 de Maio, que agrava a subida das propinas e emolumentos nas instituições públicas, bem como a gratuitidade dos transportes públicos aos estudantes.

“Feita a avaliação, tendo em conta as promessas constantes do Estado angolano, promessas que não têm vindo a ser cumpridas e pela inexistência de garantia de quando é que serão de facto resolvidos os problemas dos estudantes, como benéfico de dúvida decidimos manter a realização da marcha para o dia 17 de Abril”, lê-se no documento.

De acordo com os promotores do protesto, a concentração dos estudantes que poderão participar desta manifestação dos estudantes contra a subida de propinas e emolumentos nas instituições públicas e privadas de ensino no país, será no largo das heroínas às 11h00 para às 13h00, marcharem até ao Ministério das Finanças, órgão que rege os preços das propinas e emolumentos.

“Vamos nos manifestar e também vamos continuar com as conversações para o reajuste breve, pontual e a revogação do Decreto Presidencial”, sustenta a nota, para quem “caso não resultar, iremos novamente nos manifestar a nível do país em prol da defesa dos direitos dos estudantes”.

Refira-se que, do lado do Governo, a reunião com a direcção do Movimento de Estudantes Angolanos (MEA), contou com a presença do administrador do Instituto de Gestão da Administração Pública (IGAP) em representação da ministra das Finanças, Vera Daves do administrador do Gabinete dos Preços Vigiados, do Inspector do Ensino Superior, do director do Gabinete Jurídico do Ministério do Ensino Superior.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: