Lisboa – Uma delegação do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, abreviadamente designado por "MIREMPET”, cita  o Governador Provincial da Lunda Norte, Ernesto Muangala de ter provocado um incidente protocolar a quando do acto de transferência das sedes da Endiama Mining e da Fundação Brilhante, do grupo Endiama E.P, de Luanda para a localidade do Dundo (Lunda Norte).

Fonte: Club-k.net

Actividade  contou com a presença de dois reis: um falso e um verdadeiro 

De acordo com dados da ocorrência, tudo começou quando no passado dia 14 de Abril, o Ministro  dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, endereçou uma carta (com a referencia 907/GAB.MIREMPET/2021) ao rei soberano do poder tradicional do povo Lunda, Muatchissengue Watembo "José Esteves" convidando-o para fazer parte das jornadas de atividades programadas para as duas províncias que decorrem de 19 a 27 de Abril.

 

Na segunda-feira (19),  dia do inicio do programa das atividades, o governador Ernesto Muangala,  levou um outro cidadão João Lucas Lukhasa que se fez passar pelo  rei Muatchissengue Wa-Tembo. O evento acabou por ser realizado com dois reis, o verdadeiro rei, Muatchissengue Watembo "José Esteves" e o alegado impostor João Lucas Lukhasa, acabando por irritar a delegação ida de Luanda.

 

De acordo com a explicação de uma fonte local, “O governador da Lunda-Norte Ernesto Muangala,  descaminhou o convite de Sua Majestade o Rei Mwatchissengue Wa-Tembo, e entregou ao seu amigo e cunhado impostor Lucas João Muacawewe, procurado desta forma humilhar o verdadeiro Legítimo Rei”.

 

Segundo apurou o Club-K, a decisão do governador da Lunda-Norte em levar para o evento um falso rei, é apoiada na versão de que o dirigente   incompatibilizou se com o rei Muatchissengue Wa-Tembo "José Esteves" desde algum tempo. O Rei que é formado pelo ISCED do Lubango, é tido como crítico a algumas promessas não irrealizáveis  do governador tais como a antiga  promessa  de se construir uma estrada principal na vila do Cafunfo.


Face ao mal estar existente, o governador terá “arranjado” um falso rei, João Lucas Lukhasa que também esteve presente na atividade conforme se verifica na imagem que o Club-K teve acesso. Por sua, vez a fonte do Club-K, alega que  “O governador procurou desta forma humilhar o verdadeiro Legítimo Rei” e acusam-no de protagonizar uma “atitude hipócrita que nos últimos anos da sua governação tem dividido o povo e as autoridades tradicionais, para encontrar o apoio e sustentar o seu poder”.

Loading...



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: