Luanda – Os funcionários do Tribunal Supremo (TS) ameaçam entrar em greve geral nos próximos dias para exigirem melhores condições de trabalho e aumento de salários. A comissão sindical vai fazer chegar uma carta à Presidência da República expondo as reivindicações dos trabalhadores na próxima semana, soube o Novo Jornal.

Fonte: NJ
A ameaça de greve decorre da falta de acordo no processo de negociações entre os funcionários do TS e a entidade empregadora, depois de, em Dezembro do ano passado, os trabalhadores do Tribunal Supremo terem paralisado os trabalhos.

O coordenador da comissão sindical do Tribunal Supremo, Domingos Feca, disse ao Novo Jornal que irão retomar a greve dentro de aproximadamente 10 dias, por não existir vontade por parte da direcção do tribunal em resolver o problema que apoquenta os funcionários daquele órgão judicial.

Segundo o sindicalista, a greve visa exigir, entre outros, a equiparação do salário base, subsídios e regalias dos juízes-conselheiros e demais funcionários do Tribunal Supremo aos do Tribunal Constitucional, pagamento do subsídio de saúde e de alimentação e progresso na carreira.

"Vamos é ponderar os serviços mínimos. As actividades normais não serão realizadas porque estaremos de braços cruzados", disse.

De acordo com Domingos Feca, "não se percebe até ao momento porque é que os funcionários do TS têm salários inferiores comparativamente aos funcionários dos tribunais superiores como o Constitucional, de Contas e o Supremo Tribunal Militar".

"Não nos é dado o mesmo tratamento. Infelizmente ganhamos o mesmo que os funcionários dos tribunais de primeira instância (os tribunais provinciais). O que eles oferecem em termos de salários é o mesmo que ganhamos", explicou.

"Os funcionários do Tribunal Supremo são os que mais trabalham entre os funcionários dos tribunais superiores, mas são os que menos ganham", lamentou o líder sindical.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: