Lisboa - A estrutura do regime encarregue pelo desgaste da imagem do Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, arrendou esta semana, o espaço do Hotel Luisão, no município de Viana, para dar lugar a uma conferência  de imprensa com alegados desertores que irão anunciar “descontentamento” e acusações de tribalismo contra o líder dos “maninhos”. O evento está marcado para as 10h desta quinta-feira (20).

Fonte: Club-k.net

Realizada no hotel pertencente a dirigente do MPLA 

Desde que ascendeu a liderança da UNITA, Adalberto Costa Júnior tem sido alvo de uma incessante campanha programada pelo partido no poder, com vista a enfraquecê-lo politicamente.

 

A figura central na condução dos trabalhos de desagaste a UNITA, é o general José Tavares Ferreira, militante da alta confiança do Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço. Após ser reabilitado politicamente, o general Tavares recebeu a missão de gerir o dossiê UNITA. Foi lhe posto a disposição fundos para o efeito, administrados a partir da Associação dos Naturais, Descendentes e Amigos do distrito urbano (Akwa-Sambila), de que é Presidente. O hotel que nesta quinta-feira  acolhe a conferencia  contra o líder da  UNITA,  pertence a um amigo seu, Fernando Luís João,    que no regime  exerce  o cargo de diretor da fiscalização do Município de Luanda.

 

O chamado “saco azul” gerido pelo general José Tavares Ferreira, para estas acções de subversão democrática contra os adversários políticos,  serve também para apoiar as atividades do Comitê MPLA,  em Luanda, tal como o recrutamento de jovens “revus” que tem  realizado manifestações contra a  governação do Presidente João Lourenço.

 

Há poucos dias, o nome do secretario para informação do MPLA, Rui Falcão Pinto de Andrade, chegou a ser mencionado como contestatário, pela forma que o general José Tavares mobilizou os órgãos de comunicação estatal para cobrir – em direto - uma conferencia de imprensa de um grupo de desertores da UNITA, no município do Cacuaco. A conferencia teve como principal rosto, Domingos Pedro, um jovem que em 2016, abandonou o MPLA para se juntar a UNITA, e que agora abandona o “Galo Negro”, por alegada falta de dinheiro para taxi por parte dos seus companheiros, e por alegar que Adalberto Costa Júnior, é regionalista/tribalista, dando preferencia a quadros do sul do país.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: