Lisboa - A realização, nesta quinta-feira (20), de uma conferência de imprensa contra o Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, organizada pela rede do general José Tavares Ferreira, no hotel Luisão, em Viana, está a colocar o dono e gestor do espaço hoteleiro, Fernando Luís João numa situação constrangedora traduzida em “conflitos de interesses”.

Fonte: Club-k.net

CONFLITOS DE INTERESSES: LEI PROÍBE MILITARES DE GERIREM NEGÓCIOS PRIVADOS 

Fernando Luís João é superintendente-chefe da Polícia Nacional e nesta condição de militar no activo não pode participar em gestão de negócios. O Hotel Luisão faz parte do seu braço empresarial “Organizações Luisão – Comercio e Hotelaria, Limitada” fundado aos 20 de Junho de 2000, na qual incluiu como sócias duas filhas, Esmeralda Catarina João e Ana Maria Catumbo João, a data dos factos menores de idade.

 

Documentos da “Organizações Luisão – Comercio e Hotelaria, Limitada” que o Club-K etev acesso atestam que “a gerencia e administração da mesma, em todos os actos e contratos, em juízo e fora dele, activa e passivamente, é exercida pelo sócio Fernando Luís João”.

 

O superintendente-chefe Fernando Luís João e o general José Tavares Ferreira conhecem-se a vários anos. Ao tempo em que José Tavares era o Presidente da Comissão administrativa de Luanda, o superintendente-chefe Fernando Luís João, era seu subordinado exercendo o cargo de director dos Serviços de Fiscalização do município de Luanda.

 

Embora discreto, o superintendente-chefe Fernando Luís João, é notado em alguns círculos da Policia Nacional pelo seu historial de passagem pelas extintas FAPLA, e por ter participado na batalha de Mavinga em 1989. Ao longo da sua carreira policial, estudou direito na Universidade angolana Jean Piaget.

 

Segundo fontes do Club-K, ao colocar o seu hotel a disposição da rede do seu antigo superior hierárquico, general José Tavares Ferreira, o superintendente-chefe Fernando Luís João, estava longe de imaginar que a conferência de quinta-feira resultaria na exposição dos seus negócios privados.

 

O general Tavares é a entidade que na governação do Presidente João Lourenço, tem as responsabilidades de conduzir o programa de enfraquecimento da UNITA e o subsequente desgaste da imagem do seu líder Adalberto Costa Júnior. Os seus trabalhos, nunca são posto em marcha, sem o conhecimento do Director do Gabinete de Acção Psicológica e Informação da Casa de Segurança, Ernesto Manuel Norberto Garcia. Ambos reúnem-se com frequência na sede da Akwa-Sambila, liderada por Tavares.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: