Luanda - O Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior, através do seu espaço, perfil.com, destapou a "panela" do Serviço de Fiscalização. Isto mesmo, destapou o Serviço de Fiscalização de Luanda para degustar o currículo de um quadro do MININT, afecto à Polícia Nacional, até  pouco tempo, emprestado,  ao Governo Provincial de Luanda.

Fonte: MININT

Caros seguidores, estamos a falar-vos de Fernando Luís João, ou simplesmente "Luisão" para os mais próximos. O novo segundo comandante da PN no Cuanza Norte, e proprietário do Hotel Luisão, em Viana, recentemente usado para acolher uma campanha contra o Presidente da UNITA, Adalberto Costa Junior.


Nasceu a 20 de Agosto de 1968, nas terras do bago vermelho - Província do Uíge, filho de Dias João e Catarina Luís.


O pequeno Fernando, muito cedo começou a andar e muito cedo começou a falar, algo incomum, mas extraordinário, que viria a surpreender os progenitores, amigos e vizinhos!


Com apenas 5 anos, Luisão já apresentava uma capacidade cognitiva acima da média, o que impulsionou os pais a matricular o pequeno no ensino primário. E daí não mais parou até que concluiu o ensino pré-universitário.


Como nos contou, durante a entrevista, Luisão viu-se obrigado a caminhar para a capital do país, Luanda, devido a sua opção de formação que, por sinal, sonhava ser um homem das leis.


Feito isto, em 2007, Luisão concluía a sua licenciatura em Direito, na opção Jurídico Forense, numa das instituições de ensino de referência, em Angola, a Universidade Jean Piaget.


Mais adiante, com muito sacrifício e esforço, o jurista parte para a República de Cuba, propriamente na Universidade de Havana, em busca do Doutoramento em ciências jurídicas, na especialidade de Ciencias Penais e Criminais, que concluiu com nota positiva, em meados de 2019.


Em 1986 foi Professor do Ensino de Adultos do Departamento de Ensino da Direção Política da Primeira Região Militar na Província do Uige.


Na arena militar, o escolhido da semana deu-nos a conhecer que ingressou nas Forças Armadas Angolanas em 1986, no 2º Curso de Instrução de Tropas Territoriais, na Província do Uíge.


Depois de cerrar fileiras em prol da nação, Luisão não arregaçou ás mangas e seguiu, exercendo várias funções, como Instrutor do Centro de Instrução Militar “Nganga Sol”, nos Eucaliptos, Distrito do Quessua, Província de Malange.


Em 1989, comandante da 4ª Companhia do 3º Batalhão das tropas de quadrículas do Estado-Maior General. Foi ainda, Comissário Político do Batalhão do Asseguramento Técnico do Comando da Zona militar, no Bié, frente centro, isto em 1990.


Foi Comissário político adjunto do sector Cuito do Comando da zona militar, no Bié. Comissário político adjunto do 1º Grupo Táctico, destacado no rio Longa na Província do Kuando Kubango durante a operação Zebra em Mavinga, de 1990 a 1991.


Um ano depois é transferido para o Centro de Instrução de Comandos, no Autódromo de Luanda, como Comissário Politico da Companhia de Asseguramento e é mobilizado para o aquartelamento na Funda, Unidade dos Argueres, depois dos Acordos de Bicesse.


Com a patente de Capitão ao ombro, imposta pelo então Director Político Nacional das FAPLA, actual Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, na companhia do então Ministro da Defesa, Pedro Maria “Pedalé”, General França Ndalo, General Ngongo, General Ita e tantos outros, mostrando estar preparado para outros desafios.


Ademais, Fernando João exerceu as funções de Chefe da Acção Psicológica (Comissão Política) da Unidade de Anti-terror da Polícia de Intervenção Rápida, em 1992, Membro do Posto Comando Unificado da Polícia Nacional e Forças Armadas Angolanas, na Guarnição Militar de Luanda, Comissário Político Adjunto do Grupo Operativo, destacado no Município da Catumbela, Província de Benguela, aquando dos confrontos de 1992, destacado na PIR.


Fim dos confrontos de 1993, João contou a equipa do GCII-MININT, que foi transferido para a Polícia da Ordem Pública, como Comandante da Esquadra do Kikolo, Município de Cacuaco, que com brio exerceu durante 2 anos.


Alguns anos depois e com a mesma dedicação e prontidão, aceita o desafio de Comandante do Batalhão móvel e reserva do Comando Provincial de Luanda, pelas Forças Especiais. Em 1997, vai a chefe das Transgressões Administrativas da Administração Municipal de Viana, em representação da Polícia Nacional.


Em 2000, regressa as unidades, mas desta vez, como comandante da Esquadra do Projecto Luanda-Sul, em Viana.


Nos anos seguintes, “assumi várias funções de realce, como Chefe da Secção de expediente do Departamento de patrulhamento e vigilância da Direção Provincial da ordem pública, Chefe de Administração e Apoio da IIIª Divisão de Polícia, destacado no Município do Cazenga, Chefe de Departamento de património e obras do Comando Provincial de Luanda, Chefe da Brigada de obras e infraestruturas do Comando Provincial de Luanda e em simultâneo do Património, Administrador do Edifício do Comando Provincial de Luanda”, membro do posto Comando Unificado da comissão de asseguramento da investidura do Presidente e Vice-Presidente da República nas eleições 2017, membro da Comissão de defesa e segurança no Comité Municipal do partido de Luanda em 2018 na operação Resgate", disse-nos.


Foi Juiz Assessor do Tribunal Militar da Região Norte, coordenador adjunto dos Serviços de Fiscalização a nível da Província de Luanda junto ao CPL, aquando da Operação resgate em 2018, Professor Universitário nas cadeiras de Ciências Criminais e Tutor Académico de projectos de investigação científica dos finalistas no Instituto Superior de Ciências Criminais da Policia Nacional, “Osvaldo Serra Van-Dúnem”.


Foi, ainda, Professor e Coordenador da disciplina de Transgressão Administrativa do Projecto "Nossa Esquadra", no ISCPC, Professor de Direito da Universidade Técnica de Angola.


Questionado sobre formações profissionais e militares, Fernando emocionado afirmou que participou no 1º Curso de tropas quadrículas, no Kasseque em Benguela, no 3º Curso de formação de tropas de Comandos do Estado-Maior General, no centro de instrução de comandos no Autódromo, no 1º Curso de Anti-terror da Unidade da Polícia de Emergência, no Kikuxi, no 2º Curso de formação de anti-distúrbio, no 3º Curso de formação das Divisões na Escola do Capolo I e no 3º Curso de Comando e Liderança.

O destacado da semana, actualmente ostenta o posto de superintendente-chefe, emprestado a CACL, GPL, como Director dos Serviços de Fiscalização desde 2015 até Janeiro de 2021, altura em que foi empossado  como 2° Comandante provincial do Cuanza-Norte . 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: