Lisboa – Um reconhecido economista angolano que passou com destinação pela Universidade Oxford, na Inglaterra, foi encontrado morto em Luanda, depois de ter estado desaparecido durante dois dias.

Fonte: Club-k.net

Kamukotele Anderson “Kams”, de 51 anos de idade,  foi retirado de casa na madrugada de domingo para sábado no seu condomínio, nas laterais do Estádio “11 de Novembro”, em Luanda, tendo sido levado para parte incerta na sua própria viatura. Os autores do rapto – até aqui desconhecidos - levaram o economista, o seu filho Anderson Júnior e um sobrinho Delvany Manuel.

 

Na segunda-feira, a esposa que se encontra a trabalhar na Lunda-Sul, lançou anuncio nas redes sociais comunicando o desaparecimento dos membros da sua família que foram transportados “num carro de Marca FORD EEDGE, de cor Cinza mentalizado Com a chapa de matrícula LD.74.49.EJ”, pertencente ao esposo. Contudo seria na manha desta terça-feira (25), que os corpos dos três cidadãos – até então desaparecidos - foram encontrados no interior da própria viatura na centralidade do Kilamba.

 

Segundo apurou o Club-K, os momentos em que Kamukotele Anderson foi retirado de casa foram registrados pelas camarás de vigilância em que se verifica os raptores a levarem o economista, sem camisa e coberto com a toalha de banho.

 

Formado pela Universidade Agostinho Neto, Kamukotele Anderson, é notado nos círculos acadêmicos em Luanda por ter concluído em Outubro de 2018,  um  mestrado (MBA) com distinção pela Oxford da Inglaterra, na especialidade de estratégia financeira.  Tem também  passagem académica pelos   Estados Unidos da America. A quando do seu regresso em Angola, trabalhou como economista sênior da petrolífera BP, em Luanda, onde destacou-se como defensor dos direitos dos trabalhadores e se opôs abertamente  a uma onda  de despedimentos que em 2015,  estavam acontecer nesta empresa sem as devidas recompensações.

Em desenvolvimento

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: