Luanda - Associação para Desenvolvimento, Cultura e Direitos Humanos de Cabinda prepara abaixo-assinado para pedir a demissão dos responsáveis do Ministério do Interior e da Polícia

Fonte: VOA

"O neocolonialismo que sofremos em Cabinda, desde 1975, a privação de liberdades fundamentais, a falta de oportunidades, de emprego, etc.,”, serão os temas do protestos, segundo disse à VOA o líder daquela organização não governamental.

 

Por outro lado, Alexandre Kwanga Nsito encontra-se em Luanda a recolher assinaturas para um abaixo-assinado que visa exigir a exoneração dos responsáveis do Ministério do Interior e da Polícia Nacional em Cabinda, devido ao que considera de aumento da tortura policial contra activistas no enclave.

 

“A polícia em Cabinda tornou-se mais violenta ainda, o Comando Municipal da polícia local tornou-se no centro da tortura”, acrescenta Nsito, sublinhando ser “hora de se dar um basta” ao que chama de privação de liberdades fundamentais em Cabinda.

 

Desconhece-se o posicionamento das autoridades que, nos últimos dois anos, não têm permitido qualquer tipo de manifestação naqulela província angolana.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: