Lisboa – As autoridades angolanas (SINSE e SIC) perderam o rasto de um outro Major ligado a banda Músical  da Casa de Segurança da Presidência da República referenciado como tendo em sua posse “somas de divisas” em “cash” superiores as encontradas em apartamento de Pedro Lussati.

Fonte: Club-k.net

A semelhança de Pedro Lussati, o major Edmundo Joaquim Tchitangofina é também oriundo da província da Huíla. Nasceu aos 14 de Setembro de 1978.

 

Tchitangofina estava a ser vigiado pelos órgãos de segurança desde algum tempo. Ao contrario de Pedro Lussati, que tentou sair do país por via aérea, o major Edmundo Joaquim Tchitangofina tão logo foi alertado que o SINSE/SIC estariam a montar uma operação pela sua detenção, o mesmo evadiu-se de Luanda para Ponta Negra, Congo-Brazzaville,  por via marítima transportado num Yaté que até então estava estacionado na “Marina Baía Yacht Club”, na ilha de Luanda.

 

Segundo apurou o Club-K, posto em Ponta Negra, o major Tchitangofina abandonou o Yate, nesta cidade do Congo-Brazzaville, e dai pegou um avião para a cidade do Dubai, onde o mesmo investiu no ramo imobiliário, e em  outras na área do ramo da  construção. Na edição de 26 de Janeiro de 2021, o jornal “Khaleej Times - City Times” do Dubai chegou a citar o major angolano que na altura estava a celebrar negócios nos Emirates  Arabes Unidos. 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: