Luanda - O 27 de Maio de 1977 é considerado como um acontecimento trágico e sombrio na história pós-independência de Angola pelo facto de terem sido ceifadas milhares de vidas humanas por razões políticas, cujos motivos devem ainda ser esclarecidos.

Fonte: AngoBarómetro

Mais de quarenta anos após essas “execuções sumárias”, o Presidente da República e Chefe de Estado, João Manuel Lourenço, pediu em nome do Estado Angolano “desculpas públicas” por este grande mal.


A Equipa do AngoBarómetro levou a cabo no período compreendido entre 1 a 9 de Junho de 2021 um inquérito de opinião online, do qual participaram mil e trinta e quatro cidadãos (1034) com idade entre os 18 até mais de 55 anos, dos quais 95% do sexo masculino e 5% do sexo feminino. Deste universo de inquiridos, 82% afirmam possuir uma formação académica superior, 14% com ensino médio/técnico concluído e 4% o ensino geral.


Assim sendo, a Equipa de AngoBarómetro inquiriu se o pedido de “desculpas públicas” do Presidente da República pode ser considerado sincero e oportuno. Mais de 67 % dos inquiridos rejeitam-no pelo facto de o Presidente da República ter ocultado os culpados dos crimes cometidos ao longo do período pós-independência até 2002, enquanto 26,60% dos respondentes acham-no sincero e oportuno e 6,38% sem opinião

Concomitantemente mais de 60% gostariam que os culpados dos crimes ocorridos no pós-independência até 2002 sejam citados e apontados para que o perdão seja efectivo, não concordando desta maneira com o Presidente da Republica na sua declaração segundo a qual não era “hora de nos apontarmos o dedo procurando os culpados”.

 

 

De acordo com os resultados apurados e analisados pelos pesquisadores do AngoBarómetro, esta rejeição pode ainda ser explicada pela impopularidade cada vez mais crescente do Chefe de Estado que já não consegue convencer os seus concidadãos qualquer que seja a iniciativa política.


Quanto aos arquivos do 27 de Maio e outros acontecimentos trágicos no pós-independência, 83% dos respondentes querem ver os arquivos do 27 de Maio e outros acontecimentos trágicos pós-independência de acesso livre para a investigação científica, enquanto 13% querem mantê-los ainda vedados.

 

Por último mais de 65% não acreditam que esta iniciativa presidencial possa cimentar a reconciliação nacional e trazer paz nas almas angolanas, enquanto 21,28% acham que ela poderá ter impacto positivo na reconciliação nacional e 12,77 % sem opinião.


AngoBarómetro
www.angobarometro.com

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: