Lisboa – Uma cidadã angolana Patrícia dos Santos recorreu as redes sociais para denunciar que está a ser vitima de agressões e ameaças de morte por parte de um comissário Hermenegildo José Félix, da Polícia Nacional que até dezembro de 2018, exerceu as funções de secretário de Estado do Interior para o Asseguramento Técnico.

Fonte: Club-k.net

Por parte de um comissário da Polícia Nacional 

Residente no bairro kifika, Patrícia dos Santos, denuncia num vídeo gravado, que teve uma relação de 12 anos com o referido comissário com quem viveu em união de facto durante cinco anos. Depois que terminou o relacionamento, sua vida tem sido um terror reclamando por outro lado sonegação de justiça por parte das autoridades competentes, a quem ela tem recorrido.

 

“Venho a público porque me tem sido sonegado a justiça pelas instituições competentes. Tive um relacionamento com o comissário Hermenegildo José Félix, cinco dos quais vivendo em união de facto. O nosso relacionamento terminou há um ano e três meses e de lá para cá tenho sido vitima de todo o tipo de agressões. Já recorri a todas as instituições, já escrevi para a PGR, para o ministro do interior, para o Comando Geral da PN”, denunciou lamentando que ter quatro cartas endereçada a PGR, “inclusive a última com o conhecimento do Presidente da Republica. Já fui ao SIC. Já fiz todo o tipo de participações e nada”.

 

Patrícia dos Santos descreve que “no dia 9 de Junho, o senhor comissário agrediu me em hasta pública com arma de fogo”, sendo que na mesma data foi posta fora da sua própria casa (oferecida pela mãe) com ameaças de que se voltasse seria morta. “Eu não sei mais a onde recorrer. Escrevi inclusive para o ministro do interior enviando uma mensagem pelo whatstup, e este não se dignou a entrar em contacto comigo”, lamentou.

 

A cidadã, diz não saber mais o que fazer uma vez que continua sendo ameaçada e perseguida. contou ainda que vive aterrorizada morando em casa dos vizinhos e dependendo da solidariedade de terceiros. “eu não consigo voltar a minha própria casa porque o senhor Hermenegildo tem guardas com ordens expressas para me agredirem e fazerem o que quer que seja comigo”.

 

A mesma pede ajuda das autoridades por entender que “o senhor Hermenegildo tem andado em contramão , contra tudo do que sido dito a quando a tomada de posse do Senhor Presidente da República que ninguém é melhor do que ninguém”, por isso entende que “existe aqui um grande sentimento de impunidade por parte do comissário, que ousa dizer que eu posso me queixar onde quiser que nada acontecerá com ele.”

 

Patrícia dos Santos espera que as autoridades (PR, PGR, ministro do interior, ) não venha a público se manifestar depois de o comissário cumprir com as suas ameaças de morte.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: