Lisboa – O deputado do MPLA, Agostinho de Carvalho dos Santos Van-Dúnem “Gugu”, é referenciado como tendo sido colocado numa situação de contradição ao ser escolhido como “porta voz” das teses do Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço de rejeição ao circulo eleitoral pela diáspora, nos trabalhos de revisão constitucional.

Fonte: Club-k.net

REGIME CONTRA CIRCULO ELEITORAL NA DIÁSPORA 

As contradições identificadas no agora deputado MPLA, são baseadas no seu antecedente de antigo bolseiro angolano em Portugal, onde na década de 90 encabeçou manifestações anti-regime pelos atrasos dos subsídios, e em defesa dos direitos dos angolanos no exterior. Volvidos 20 anos, Agostinho Van-Dúnem “Gugu” é agora visto nos órgãos de comunicação social a fazer uma campanha feroz contra a circulo eleitoral pela diáspora.


De acordo com discrição, o distanciamento de Agostinho Van-Dúnem “Gugu” com a diáspora angolana que ele defendia no passado, aconteceu quando era bolseiro contestatário ao regime. Ele e os eu grupo por se revelarem “revolucionários”, o que não era admissível pelo contesto de conflito armado de então, “Gugu” e mais outros estudantes foram levados a Luanda a fim de serem ouvidos e acabaram mais tarde por serem mobilizados para trabalhar para o regime. Em 1998 foi colocado na então assessoria diplomática da Presidência da República onde fez carreira e promovido, em 2012, a categoria diplomática de Ministro Conselheiro, conforme consta no Despacho n.º 2291-KI/12.

 

Seria entretanto, Manuel Augusto, o então ministro das relações exteriores de João Lourenço que o leva para o MIREX como Secretario Geral. Ficou conhecido como um dos mais poderosos secretário-geral da historia da diplomacia angolana por concentrar em si, a pasta das finanças, e recursos humanos, provocando burocracias e uma onde de revolta dos funcionários contra a sua pessoa. Face a onde de contestação e a acusações, Van-Dúnem demitiu do cargo em Maio de 2020 e no final do ano entrou para o parlamento em substituição do falecido deputado Mendes Bartolomeu, passando a integrar a comissão dos assuntos constitucionais e jurídicos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: