Lisboa – O arquitecto angolano Paulo Dinis Luvambano (na foto), é citado por fontes familiares em Cabinda como tendo tomado conhecimento da sua exoneração do cargo de vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-Estruturas, através do telejornal da TPA, do dia 18 de Junho.

Fonte: Club-k.net

FICOU 18 DIAS NO CARGO 

Apesar de ter sido nomeado no dia 12 de maio, Paulo Dinis Luvambano tomou posse no palácio presidencial no dia 1 de Junho. Ao regressar a província de Cabinda, nas suas novas funções, o mesmo tomou parte de uma reunião de trabalho com o Secretário de Estado para as Obras Públicas, Carlos Alberto Gregório dos Santos, na qual tomou posições defendendo um rumo de desenvolvimento para o enclave tal como uma nova tipologia para habitações para uma nova centralidade, contraria a programada pelo governo central.


Posto em Luanda, segundo apurou o Club-K, o Secretário de Estado para as Obras Públicas comunicou ao Ministro, Manuel Tavares de Almeida sobre o respaldo desenvolvimento da reunião em Cabinda. Ambos chegaram a conclusão que o ex - novo vice-governador de Cabinda para os Serviços Técnicos e Infra-Estrutura estava a tomar posições que desrespeitavam um alegado decreto presidencial.


O ministro das Obras Públicas por sua vez, telefonou ao próprio vice-governador instruindo-o a dar descontinuidade sobre ordens que Paulo Luvambano havia baixando em contradição ao decreto presidencial. De seguida, Manuel Tavares de Almeida telefonou ao Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço recomendando a exoneração de Paulo Dinis Luvambano, que – desde a tomada de posse – ficou no cargo por 18 dias.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: