Luanda - O Facebook pergunta em que estou a pensar. Estou a pensar, com profundo pesar, na morte estranha do General Maurício Amado Nzulu, ocorrida esta madrugada em Luanda supostamente por uma crise súbita.

Fonte: Club-k.net

A comunicação me foi dada as 03:42 (30.06.021) desta madrugada pelo Tnt-General Nelito Buela. Desde então o sono desapareceu e a minha mente foi assaltada por um turbilhão de pensamentos. Tudo gira em volta das conversas que íamos tendo nos últimos dias e das circunstâncias estranhas dessa morte súbita. A nossa última conversa foi há duas semanas. Ligou-me muito indignado por causa da proposta de alteração do art.312 da CRA sobre o Poder Local.


Segundo a mesma, o Executivo pretendia retirar a descentralização política, reduzindo o tal poder local a uma simples descentralização administrativa. O General Nzulu estava muito alterado ao falar comigo sobre essa manobra do MPLA que iria fechar as portas para uma evolução política positiva do estatuto especial para Cabinda. Confidenciou-me que escrevera duas cartas sobre o assunto: uma para o PR JLo e outra para o Presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos. Caso não recuassem ele iria liderar manifestações de protesto em Cabinda. Repetiu isso várias vezes.


Vamos ter que sair a rua porque não nos respeitam! Finalmente a revisão pontual da Constituição aprovada recentemente mantém a redação do art.312. Todavia, nos últimos tempos as águas andam agitadas no FCD (Fórum Cabindes para o Diálogo) com o BB a reivindicar as competências de Presidente acusando o General Nzulu de confusionista e usurpador do cargo. Ultimamente o General Nzulu era um dos convidados num colóquio organizado pela Ecclesia e eu esperava vê-lo por lá, pois tínhamos uma conversa pendente. Infelizmente, já não o vi nem voltarei a vê-lo.


Fez-se representar pelo Coronel na reforma, Tomás Leba Makundi. Não trago aqui vaticínios, mas inquietam-me as causas dessa morte no meio dessas circunstâncias acima descritas. É estranho! Muito estranho!...Deus que é justo e misericordioso faça justiça e resplandeça a luz da sua misericórdia ao seu filho Maurício Amado Nzulu para que encontre repouso eterno. Os meus profundos sentimentos de pesar a família enlutada!

Cabinda, 30 de Junho de 2021
Raul Tati



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: