Lisboa – O Presidente do Tribunal Supremo de Angola, Joel Leonardo, é citado, em meios da magistratura, como estando a manifestar sinais de interessado em “ficar” com uma residência, localizada no Talatona, que a Procuradoria Geral da República, confiscou ao antigo Director-Geral do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), Joaquim Sebastião.

Fonte: Club-k.net

Nos últimos dias circularam informações – ainda não contestadas - dando conta que o juiz Joel Leonardo teria visitado a referida, casa, na tarde de sábado, gerando por outro lado, acusações de alegado rompimento a ética da jurisprudência, uma vez que a casa pertence a Joaquim Sebastião, embora estivesse sobre alçada da PGR, devido a investigações a volta do seu proprietário.

 

A residência em causa, está localizada na Rua CRS20 e foi arrestada em meados do ano passado pelo Serviço Nacional de Recuperação de Activos (SNRA) da PGR que por sua vez tem como fiel depositário o Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE).

 

Segundo apurações, há sectores na magistratura angolana a querer saber em que condições o Presidente do Tribunal, terá feito a visita a casa “alheia”, se foi de carácter particular ou diligencias judiciais, embora se sabe de antemão que o mesmo não tem em sua posse nenhum processo sobre o imóvel, para efectuar essa pericia. É por esta razão que algumas vozes inclinam-se para o seu interesse pessoal pela residência confiscada pela PGR.

 

Desde que assumiu a liderança do Tribunal Supremo, o juiz já exigiu uma casa no Condomínio Boavida, que se estima ter custado cerca de 3 milhões de dólares americanos. Em meados de 2020, colocou o nome de membros da sua família numa lista de funcionários do Tribunal Supremo para receberem apartamentos num novo edifício que fica no perímetro da cidadela desportiva, em Luanda.

 

Apesar de ter a casa de função no condomínio “Boavida”, o Presidente do Supremo, voltou a colocar o seu nome na lista para obtenção de apartamento na cidadela. O seu nome é o numero um da lista.

 

Joel Leonardo incluiu igualmente na lista das casas, o nome de um filho, Vanúr de Abreu Isaú Leonardo, tal como o do seu genro, casado com a filha, Amélia Jumbila Isaú Leonardo Machado. Para além do filho, colocou igualmente na lista – para as casas - um sobrinho, João Fernando Apolinário. Tanto o filho Vanúr Leonardo como o sobrinho João Apolinário, trabalham no gabinete de Joel Leonardo com a categoria de técnico médio de 3 classe.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: