Luanda - O MPLA em Luanda reagiu, neste sábado, ás acusações da UNITA, que dão conta de uma suposta operação de aliciamento, alegadamente orientado por dirigentes do MPLA, onde Bento Bento é citado como sendo um dos dirigentes por trás das supostas compras de militantes.

Fonte: Correio da Kianda

Em reacção às acusações da UNITA, o primeiro secretário do MPLA em Luanda considerou-as como sendo manobras populistas da UNITA, “que têm como propósito e fim único, atingir militantes do Partido maioritário”.

No seu acto de massa organizado neste sábado no Município do Talatona, pelo Comité Provincial do MPLA em Luanda, Bento Bento desafiou a UNITA a levar as provas dos supostos aliciamentos invocados pelo Galo Negro, a Procuradoria-Geral da República.

Bento Bento, que juntou-se a voz de Rui Falcão, acusando a UNITA de ser um partido que tem financiado as manifestações em Luanda, disse que o seu partido não precisa de recrutar militantes da UNITA para filiarem-se no MPLA, pelo que, a denúncia da UNITA, não passa de uma propaganda para distrair a opinião pública.



“O MPLA não precisa de empresto, o MPLA tem militante em tudo quanto é canto do país, e se de facto a UNITA tem este dinheiro, vá a PGR e apresente as provas”, desafiou.

Sobre os supostos 22 milhões de kwanzas, referido pela UNITA como tendo sido o valor pelo qual militantes daquele partido estavam a ser comprados, Bento Bento fez saber, que o seu partido enfrenta dificuldades financeiras em suas bases, pelo que, diz, não ser possível gastar esse dinheiro invocado pela UNITA Para supostamente comprar militantes de outros Partidos.

“O MPLA não tem dinheiro para si, vai ter dinheiro para comprar outros militantes? Precisamos de militantes da UNITA? O MPLA não precisa de kixikila” disse, o político.

Entre as principais figuras do MPLA, no acto de massa deste sábado, no Município do Talatona, estiveram presentes o antigo Secretário Geral do MPLA, Dino Matrossi, e o actual Secretário para informação do partido, Rui Falcão.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: