Lisboa - O Juiz Presidente do Tribunal Supremo de Angola, Joel Leonardo violou esta semana, o decreto de medidas de prevenção e controlo da propagação do vírus Sars-CoV-2, que institucionaliza a obrigatoriedade da observância da quarentena domiciliária ou institucional para os que regressam do exterior do país.

Fonte: Club-k.net

Fontes do Club-K, adiantam que, Joel Leonardo regressado sábado passado ao país, Angola , depois de uma temporada pela Europa (Espanha, Portugal) em gozo de férias, não se coibiu em observar a quarentena por conta do Covid, que deveria permanecer sob recolhimento pelo menos até (10)dias, em conformidade com as instruções das autoridades sanitárias. Na tarde de sábado (24), do dia em que regressou da viagem, o magistrado foi saudar o óbito de um familiar seu cujo o funeral teria acontecido no domingo da semana antepassada .


Na companhia da esposa e uma viatura da sua escolta, a sua caravana rumou neste dia para a Vila de Viana, onde permaneceram até a noite dentro, num acto descrito como de “toda irresponsabilidade, numa altura em que, às autoridades sanitárias tem de forma permanente da presença nas nossas fronteiras da variante Delta, a mais letal e bastante perigosa na Europa”.

 

Fontes que presenciaram as movimentações do mesmo alegam que houve tentativa denúncia-lo as autoridades sanitárias, mas sem sucesso, uma vez que o numero 113, não acionou, de tantas ligações efectuadas.


Caso cumprisse as normas do decreto presidencial, o Presidente do Tribunal Supremo terminaria a sua quarentena domiciliar no próximo dia 3 de Agosto.

 

De lembrar que um caso oposto, aconteceu com em finais de Junho com a antiga governadora de Luanda, Joana Baptista  Lina  que recusou atender uma convocatória do Secretario  provincial do MPLA,  Bento Bento para uma marcha partidária  alegando razões de pandemia. Lina não compareceu porque estava a cumprir com  o  período de quarenta domiciliar depois de ter regressado de Portugal  e não podia sair para os comícios tanto  mais que nem sequer participou ao funeral de uma prima, Amélia da Cruz Coelho do Nascimento (esposa do General Dino).

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: