Lisboa – Uma nova empresa de lotaria criada pelo braço empresarial do MPLA, endereçou no passado dia 14 de junho, a Sonangol, um oficio 037/AG/2021, solicitando a colaboração da petrolífera estatal, no sentido de integrar nas suas lojas de retalho, na rede ponto de distribuição de jogos sociais.

Fonte: Club-k.net

Em resposta datada do dia 18 do mesmo mês, o PCA da Sonangol Sebastião Pai Querido Gaspar Martins, replicou – através do oficio 662/GPCA/2021 - salientando que o pedido da ANGOLLOT está analise mas que “fora de qualquer cenário de exclusividade, voltaremos ao contacto logo que tenhamos condições criadas para o estabelecimento da proposta de parceria”.

 

Criada em Angola de 2020, a ANGOLOTT está a participar no concurso Internacional para a Concessão Exclusiva de Exploração dos Jogos Sociais realizado pelo ministério das finanças de Angola, nos termos da Lei n.º 5/16, de 17 de Maio.

 

Ao total, participaram neste concurso cerca de 100 empresas mais somente cinco foram classificadas na primeira fase tendo lhes sido dado “tempo razoável” para submeterem as suas propostas técnicas e financeiras para analise de uma comissão de avaliação do ministerio das finanças.

 

No passado dia 14 de Julho, a ministra das finanças, Vera Esperança dos Santos Daves de Sousa foi convocada na sede do MPLA, e logo a seguir o seu ministério comunicou aos outros concorrentes que abriu uma excepção a ANGOLOTT, alegando que esta não conseguiu submeter as suas propostas como mandam o concurso público pela plataforma informática do ministério financeiro, o que levou-a a ficar inicialmente excluída como quinta concorrente finalista. No dia 22 de Julho a ANGOLOTT, foi declarada como concorrente.

 

O partido no poder, MPLA, faz se representar no consorcio ANGOLOTT por via de duas participadas, a MSGJ – Sociedade Gestora de Jogos e a ECOKIANDA, cada uma delas com 33, 333 %.

 

A MSGJ, é por sua vez controlada pela “Gestão de Fundos, SARL”, uma seguradora do MPLA, que tem como PCA, o membro do Comitê Central, Francisco da Silva Cristóvão “Chiquinho” e um gestor Arlindo de Sousa e Silva, que também exerce funções de administrador não executivo da TAAG.


De acordo com fontes do Club-K, a ANGOLOTT está em vias de ser declarada vencedora do concurso para concessão exclusiva de Exploração dos Jogos Sociais realizado pelo ministério das finanças.


Tema relacionado

Ministra angolana suspeita de favorecer empresa do MPLA

Empresa do MPLA no negócio da gestão do AngoSat



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: