Luanda - País é um determinado território social, política e geograficamente delimitado, habitado por uma população com cultura comum. O nosso país, Angola, é (des)governado por um grupo político de malfeitores cujo o interesse tem sido e sempre será, sem dúvidas, saquearem o erário nacional para o auto enriquecimento. Volvidos mais de 40 anos desde que proclamou-se a independência (embora por intermédio de um golpe/assalto político perpetrado pelo partido dos malfeitores, MPLA), o povo nunca gozou de boas condições de vida. Sempre faltou quase tudo ao povo angolano.

Fonte: Club-k.net

NÃO PODEMOS ADIAR O PAÍS!

Num ano pré-eleitoral, o povo sofredor veja luz verde de prosperidade social no fundo do túnel político na Oposição. Os novos "feiticeiros" políticos na frente de uma denominada "Ampla Frente Patriótica Nacional" dão esperanças ao pacato povo angolano. Um exemplo a comprovar o que escrevo, é o rancoroso, triste , vergonhoso e infantil comunicado do Bureau Político do MPLA sobre este projecto. O MPLA mostrou, claramente, que já não faz sentido algum ficar calado, tinham que reagir sob pena de perderem o mandato nas próximas eleições que devem ser realizadas de forma justa e transparente. O Futungo não jogou bem o xadrez e levou um xeque-mate em Benguela, onde, mais de 780 000 almas deixaram os seus afazeres para ouvir a boa mensagem de um filho que realmente os quer realizar os sonhos que a muito almejam e/ou almejaram atingir.

Assim sendo, um comunicado intimidatorio saído do porão dos malfeitores pode adiar, por intermédio da ilegalidade, o sonho do povo angolano. Pode adiar o nosso país! Usarão os tribunais para impedir o triunfar do povo angolano. Afastarão quem o povo nutre esperança para, mais uma vez, roubarem a legitimidade do povo angolano. Não podemos permitir que o país, agora do que nunca, seja adiado! Angola não é propriedade exclusiva do MPLA! Um por todos, todos por um, diga não à interferência política no poder judicial!

Tenho dito!

Bruno Hélder Gaspar Moreira

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: