Lisboa - Um grupo de empresários turcos manifesta intenção de “ficar” com a Pumangol, no âmbito das privatizações de empresas angolanas que foram erguidas com fundos públicos mas que se encontram nas mãos de privados. A intenção foi manifestada em Istambul, durante a recente deslocação que o Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço efectuou a Turquia.

Fonte: Club-k.net

Segundo apurou o Club-K, o Chefe de Estado angolano terá dado garantias aos empresários turcos que o abordaram sobre o assunto a margem de um fórum econômico envolvendo entidades dos dois país. Os empresários em causa são conhecidos como lobistas que operam em Angola como “olheiros” na identificação de activos no país.


Detida pelo general Leopoldino Nascimento “Dino”, a Pumangol é uma empresa de direito Angolano, subsidiária da Puma Energy que armazena, distribui e comercializa combustíveis, lubrificantes, betumes e emulsões betuminosas.


A empresa tem quatro áreas de negócio em Angola, a Pumangol Lda. proprietária de 79 Postos de Abastecimento pelas 18 províncias de Angola, a Pumangol Industrial, que armazena, distribui e comercializa combustíveis e lubrificantes a clientes industriais (B2B) e proprietária de do TCPL e mais 6 terminais, 4 deles de aviação, a Angobetumes, que armazena e distribui betume e emulsões betuminosas e a Pumangol Bunkering que distribui combustíveis às instalações petrolíferas e navios no offshore de Angola. A Pumangol tem cerca de 750 trabalhadores.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: