Lisboa – Desde finais de 2017, que as autoridades namibianas, através do seu ministério das pescas recursos marítimos tem reclamado da existência de barcos com licenças de Angola a exercerem atividade pesqueira na sua Zona Econômica da Namíbia. As autoridades segundo documentos que o Club-K teve acesso lembram que os dois país chegaram assinar um memorando de entendimento para dirimir assuntos desta natureza, depois do registro da primeira reclamação feita aos 24 de Junho de 2016.

Fonte: Club-k.net

De acordo com as mais recentes reclamações as embarcações voltaram a violar a fronteira marítima e são vistas a desenvolver atividade pesqueira em águas territoriais namibianas.

 

Entre as embarcações “violadoras” de águas alheias, foram interceptadas algumas que nas investigações de fontes namibianas, revelam forte indícios de pertencerem a empresas ligadas a familiares de membros do regime angolano.

A saber:

Embarcação AVACHINSKY, pertencente a empresa LN2, Limitada, controlada por Maria Ilaria Orobio dos Santos e Nelson Jorge dos Santos e Silva Cardoso, este último suspeito de ser familiar do antigo chefe da casa civil, Frederico Manuel dos Santos e Silva Cardoso.

 

Embarcação HELSINGFORS, pertencente a empresa BELAGUAS COMERCIO E SERVICOS, controlada por Andreia Heloisa da Costa Prata e Queiroz, Graça de Fatima da Costa Rocha, Isabel Manuel Gomes Maiato Bernardo e José Pedro Cerqueira Nelumba, este último suspeito de ser filho da ministra de Estado de Angola, Carolina Cerqueira.

 

Embarcação YUN DER (REEFER). & TRONDHEIN, pertencente a empresa KADINGONGA, controlada por elementos suspeito de pertencerem a família Lourenço. Os donos da KADINGONGA são:   Maria Rosaria Gonçalves Lourenço, Aldina da Silva Gonçalves Lourenço, Roberto Lutuima Agostinho Dinis; Djamila Kahete Lourenço Antônio Dinis.

 

Embarcação VEGA pertencente a empresa CAMEGA, detida por Manuel Arnaldo Sousa Calado, antigo PCA da Endiama; Maria Rosaria Gonçalves Lourenço, Antônio Garcia da Silva, Eunice de Fatima Maciel Torres Esteves e Augusto Domingos Cazola (da empresa SFT – Sea Fish Trade).

 

Embarcação OLUTORSKY pertencente a empresa MALDLE & CRUZ , detida por Osvaldo Salvador Cruz e Madalena João da Costa, 

 

Embarcação FORSA pertencente a empresa ALFALUANA, formalmente em nome da família Antônio Muhalia, mas tendo como beneficiário final, Maria  Antonieta Josefina Sabina Baptista, ex- Ministra das Pescas e do Mar.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: