Luanda - Uma equipa da Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar (ANIESA) visitou, nos últimos 15 dias, as zonas turísticas do Mussulo, Cabo Ledo e Ilha do Cabo, na província de Luanda, para verificar a conformidade do funcionamento das unidades de restauração e lazer, de que resultou a aplicação de várias multas por irregularidades graves.

Fonte: Mercado

Segundo informou o inspector-geral, Diógenes de Oliveira, a ANIESA passou por seis (6) Resorts e noutros 23 restaurantes, onde detectou problemas com o acondicionamento de comida, conservação de produtos frescos e até mesmo a data de caducidade vencida nalguns produtos em 20 deles (88%).

No global, de acordo com Diógenes de Oliveira, em todas as unidades visitadas foram detectadas irregularidades, sendo umas com infracções menos graves, outras com graves e não poucas com violações muito graves.

“Nalguns restaurantes e resorts fiscalizados, por exemplo, foram encontrados produtos alimentares com prazos expirados, adulterados, facto que atenta contra à saúde pública, além de violar princípios estabelecidos nas regras de sanidade e higiene. Esta situação coloca, possivelmente, os consumidores em iminência de uma intoxicação alimentar, envenenamento, que muitas das vezes pode chegar a óbito”, afirmou.

Diante de infracções que lesem ou possam lesar o consumidor nacional, casos de produtos expirados, corrompidos, adulterados e que não ofereçam as condições necessárias para a comercialização, a Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar garante aplicar medidas severas aos infractores.

Conforme tranquiliza Diógenes de Oliveira, quando se trata de atentado à saúde pública, a ANIESA não tem sido complacente, mas implacável; sem dó nas medidas a tomar, sempre com base na lei, através da responsabilização administrativa dos promotores. No seguimento e de forma preventiva, a ANIESA diz ter interditado algumas unidades visitadas, com realce para as do Mussulo, onde justifica terem sido detectadas falhas muito graves.

Hotéis na mira

O inspector-geral da ANIESA aproveitou a ocasião para anunciar, para os próximos dias, uma campanha de verificação similar às unidades hoteleiras. “O trabalho não ficará apenas em Luanda. Vai estender-se a nível de outras províncias do Pais”, garantiu.

É objectivo da autoridade nacional inspeccionar e fiscalizar as normas económicas e garantir que todos os produtos e bens entrados no circuito comercial, estejam aptos para o consumo humano.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: