Luanda - O antigo presidente do conselho de administração da Televisão Pública de Angola (TPA), Hélder Manuel Barber Dias dos Santos, e o actual PCA da Rádio Nacional (RNA), Pedro Cabral, criaram uma empresa de comunicação social em Janeiro de 2019 que entrará em actividade, ao que tudo indica, em 2022, ano de eleições gerais no País.

Fonte: Novo Jornal

Jornal de Negócios, título português especializado em temas de economia, avança na sua edição de hoje que o grupo Martifer está a construir em Luanda um "projecto integrado de comunicação moderno" para a GINGA.COM. O contrato "chave na mão" vale 19,3 milhões de euros (15,5 mil milhões Kz) e tem "conclusão prevista para Fevereiro/Março do próximo ano".



A sociedade anónima GINGA.COM tem um capital social de quatro milhões de kwanzas (cerca de 5.000 euros), verificou o Novo Jornal no Diário da República.

O diário afirma que a Martifer "está a construir na capital angolana um empreendimento que o seu cliente baptizou como "Projeto Integrado de Comunicação", que inclui estúdios de televisão, de rádio e escritórios, informação confirmada pelo Jornal de Negócios junto do CEO (sigla em inglês para director executivo) do grupo português de construção civil.



A sociedade anónima GINGA.COM - Comunicação, Multimédia e Telecomunicações foi constituída em Janeiro de 2019. Tem sede em Luanda, no município de Talatona, no Condomínio Solida Plaza, confirmou o Novo Jornal.


Tem como objecto social a prestação de serviços de comunicação social audiovisual, sonora ou escrita, a produção, gestão e distribuição de instrumentos ou plataformas de comunicação social, redes sociais, indústria do lazer, diversão, espectáculos, cultura turismo, conteúdos, destinados a todos os sistemas de comunicação e informação, online ou não, televisão, radio, cinema e internet.

Pode ainda dedicar-se à publicação e edição de jornais, revistas, marketing, bem como à realização de eventos e promoções, importação, produção, exportação e comercialização de materiais de suportes publicitários, tecnologia de informação e comunicação, assim como ao exercício da actividade de comunicações electrónicas.

Com um capital social de quatro milhões de kwanzas, integralmente realizado em dinheiro, dividido e representado por 4.000 acções no valor nominal de 1.000,00 kwanzas cada uma, são nominativas e podem ser incorporadas em títulos de uma, dez e mil acções.

A administração do Ginga.com é exercida por um conselho de administração (CA), constituído por três membros eleitos em Assembleia Geral, por um período de quatro anos.

O presidente do conselho de administração (PCA) é Hélder Manuel Barber Dias dos Santos, antigo PCA da Televisão Pública de Angola, exonerado em Novembro de 2017 por João Lourenço, pouco depois de ter tomado posse como Presidente da República.

Pedro Afonso Cabral, actual PCA da Rádio Nacional, nomeado por Lourenço em 2020, é o número dois do conselho de administração desta sociedade anónima, estando Carlos Cristóvão Fernandes designado como número três, de acordo com a escritura da empresa.

O Jornal de Negócios avança que a GINCA.COM tem em vista "posicionar-se para a compra do grupo Media Nova" - TV Zimbo, jornal O País, Rádio Mais, e gráfica Damer, que até 30 de Julho de 2020 eram propriedade dos generais "Dino" Nascimento e Hélder Dias "Kopelipa" e do ex-vice-presidente Manuel Vicente, antes de serem entregues ao Estado no âmbito da recuperação de activos.

O Governo já anunciou, pela voz de Manuel Homem, ministro da tutela, que estes activos deverão voltar ao sector privado ainda em 2021, adequadamente antes das eleições gerais de 2022



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: