Lisboa - O não anúncio do assassinato do chefe da escolta do Juiz Presidente do Tribunal Supremo pelos órgãos de comunicação social em Angola, foi determinado em conformidade com uma alegada “ordem superior” que os medias públicos terão recebido, conforme atesta uma fonte do Club-k, que acompanha o assunto.

Fonte: Club-k.net

Segundo explicações da referida fonte, as autoridades levantam suspeitas de tratar-se de um “assassinato com contornos político”, razão pela qual foram baixadas orientações para o assunto não ser noticiado, “para não mostrar uma certa fragilidade na segurança do venerando Juiz Presidente Joel Leonardo”.

 

De acordo com relatório de ocorrência que o Club-K teve acesso, o homicídio qualificado que tirou a vida do Inspector Randi Manuel António, de 37 anos de idade, aconteceu aproximadamente as 03H25 do dia 08 Setembro 2021, no Bairro Muxima Umoxi, território operacional da Esquadra do Zango zero.

 

Randi foi morto por disparo de arma de fogo. A acção terá sido praticada por 04 elementos não identificados, trajados a civil, munidos de (02) armas de fogo, sendo (01) tipo AKM, cano serrado e (01) pistola não especificada. Apesar de ter perdido a vida em casa, o inspetor da PNA, estava colocado no Comando da OPIPE, pertencendo a cápsula de segurança do Juíz Presidente do Tribunal Supremo.

 

O mesmo foi atingido com várias disparos na região do tronco, resultando na sua morte imediata. Dos vários disparos efectuados no interior da residência, resultou igualmente a ferimento grave na região da cabeça da filha da vítima, de nome Carina Soares António, menor de 12 anos de idade, tendo sido socorrida para o Hospital do Capalanga onde encontra-se em coma.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: