Luanda - Hoje tiro o meu chapéu ao Presidente João Lourenço porque numa jogada de mestre colocou a UNITA entre a espada e a parede pelo facto de ter devolvido a Lei Eleitoral a Assembleia Nacional para ser reapreciada, ou seja, o Galo Negro convocou uma Manifestação neste sábado para reivindicar eleições justas e livres mas acima de tudo pela Lei Eleitoral aprovada na Assembleia Nacional pela maioria Parlamentar do MPLA e com esta devolução ou com a não Promulgação por parte do Presidente o objectivo Central da Manifestação da UNITA cai por terra, ou seja, fica sem argumento de facto para ser Realizada.

Fonte: Club-k.net

O Presidente da República tinha ou tem noção de como esta passeata ou manifestação da UNITA iria ou vai encher dali ter jogado na antecipação para salvar a sua imagem e do seu Partido diante dos contornos que esta actividade da UNITA iria ou vai causar no País e fora.

 

Portanto, esta jogada de mestre do Presidente deveu-se a três factores fundamentais, nomeadamente, as Críticas e Alertas que muito de nós foi fazendo ao Presidente da República sobre o perigo deste Pacote Eleitoral; Afirmação da Popularidade da UNITA diante da Comunidade Nacional e Internacional que legitimaria a tese de que a UNITA em 2022 ganha as eleições; e por último, o Golpe de Estado na Guiné Conakri que teve muito apoio por parte da sociedade Angolana, ou seja, com excepção do MPLA, quase todos os Angolanos apoiam o acto e muitos defendem que acontecesse algo do gênero em Angola o que obrigou o Presidente João Lourenço a suspender as suas férias e reunir de imediato com todos os Órgãos de Segurança de Estado para avaliarem os contornos do Golpe de Estado de um País em que o Presidente teve lá a pouco mais de um mês, mas em todo caso, o Presidente da República João Lourenço está de parabéns por ter mandado reapreciar a lei e auguramos que a bancada do MPLA entenda que os tempos não estão para brincadeira.

 

= Osvaldo Tchingombe = Sociólogo Independente & Comunicador/Analista Político..."Salúte"...



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: