Lisboa – Um encontro entre o Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço e o seu antecessor José Eduardo dos Santos estava previsto para esta sexta-feira (17), na residência deste ultimo no miramar, mas teve de ser remarcado ficando reduzido a um telefone entre partes. Lourenço fez o telefonema para saudar o líder emérito do MPLA.

Fonte: Club-k.net

Lourenço ausenta-se do país neste final de semana prevendo-se que no seu regresso (dentro de sete dias) o referido encontro possa ocorrer.

 

José Eduardo dos Santos esteve ausente do país desde Abril de 2019 por motivos de saúde. A sua ausência prolongada é associada a imprevisibilidade da reação da mediação que estava a ser submetido, o que lhe obrigada a ficar mais tempo em Barcelona para acompanhamento dos especialistas.-- 

 

Os políticos estão em clima de ruptura desde a ascensão e João Manuel Gonçalves Lourenço a líder do MPLA, agravando-se com queixas por parte de filhos de JES de que estariam a ser perseguidos pelo actual poder.

 

Desde o inicio do corrente ano que foram assinalados sinais de reaproximação entre os dois lideres encorajados pelos apelos de unidade com vista ao próximo congresso partidário e às próximas eleições gerais de 2022.

Sinais de reaproximação

- Viajem privada de JL ao Dubai, para consulta médica na qual aproveitou para dar orientações ao seu diretor de Gabinete, Edeltrudes Maurício Fernandes Gaspar da Costa, para ir ter com JES, que também estava neste emirados, transmitindo o interesse de haver um encontro entre as partes. O encontro não chegou a ter lugar.

 

- Em Abril do corrente ano, JL convidou para um almoço veteranos da linha de JES, de quem estava afastado desde o congresso de 2018. O antigo SG do MPLA, Julião Mateus Paulo “ Dino Matross” , “Kito” Rodrigues e Roberto de Almeida aceitaram mas outros, outros da linha de António dos Santos França “Ndalu” recusaram alguma reaproximação.

 

- JL recorreu a antigos cabos de JES colocando em posições chaves no aparelho do partido.


- Rui Falcão Pinto de Andrade, retomou a pasta da informação, Virgílio Ferreira de Fontes Pereira (bancada parlamentar) e Bento Joaquim Sebastião Francisco Bento, para reassumir o comando de Luanda. Um outro cabo eleitoral da zona periférica, Bento dos Santos “Kangamba”, foi também chamado e recebido na sede nacional do MPLA pelo que terá disponibilizado em manter-se na sua posição partidária e apoiar o partido com doações (medicamentos, e cesta básica), em zonas criticas da capital do país.

 

- Uma irmã de JES, Marta dos Santos que estava “exilada” em Portugal regressou ao país na sequência de garantias de que não seria incomodada pelas autoridades.

 

- Um fiel general de JES, Antônio José Maria viu o Tribunal Supremo Militar acelerar o seu recurso devolvendo-lhe a liberdade da condenação de extravio de documentos militares. No dia da chegada de JES, foi busca-lo no aeroporto de Luanda, transportado numa aeronave posta a disposição dos serviços protocolares da Presidência angolana.


Uma informação que circula em meios do regime aponta a “disponibilidade” do antigo Chefe da casa de segurança, Manuel Vieira Dias “Kopelipa” de poder ajudar nos preparativos das eleições de 2022. “Kopelipa” é figura geralmente citada que ao tempo de JES que controlava a CNE. O controlo era por intermédio de dois oficiais formados em informática do seu gabinete, o general Rogério da Silveira e o Coronel Anacleto Garcia Neto, que dirigiram o centro de escrutínio eleitoral, razão pela os comissários da CNE denunciavam desconhecer a origem dos resultados eleitorais em Angola.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: