Luanda - O presidente do Conselho Nacional de Juventude (CNJ), Isaías Kalunga, manifestou-se preocupado com os jovens portadores de deficiência, que encontram muitas dificuldades para terem acesso aos transportes (táxis e autocarros).

Fonte: Club-K.net

A constatação resulta da auscultação que o líder do CNJ tem feito em todas as províncias do país, ouvindo os líderes juvenis e a juventude em geral, e a questão da acessibilidade nos transportes tem sido muito levantada pelos representantes das associações de pessoas portadoras de deficiência.

 

O responsável da Associação dos Jovens Portadores de Deficiência na província do Huambo, Mário Ferreira manifestou a preocupação dos jovens que andam em cadeiras de rodas, que segundo disse, encontram muitas dificuldades para terem acesso nos táxis, onde são obrigados a pagar um lugar a mais, devido a cadeira.

 

Segundo revelou Mário Ferreira, muitos destes jovens decidem abandonar os estudos dada à vida cara em que “são submetidos” pelos transportes públicos (táxis).

 

O líder do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), Isaías Kalunga, constatou no terreno a realidade dos “jovens cadeirantes” e defendeu a conjugação de esforços com demais associações de taxistas serem encontradas solução aos entraves que esta franja da sociedade angolana enfrenta.

 

“É muito difícil ter que pagar três lugares, quando se está a andar sozinho, precisamos trabalhar em conjunto para que situações dessa natureza terminem o mais rápido possível”, disse Isaías Kalunga.

 

Referiu que os taxistas devem ter as portas das bagagens funcionais, pois disse, “só assim será possível acabar com essa situação”, tendo garantido que dentro de pouco tempo, o Conselho Nacional de Juventude (CNJ) vai reunir com as associações dos taxistas para juntos encontrarem “soluções conjuntas”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: