Luanda - 1. Este polícia chefe sabe o que é a Igreja? Pensa ele poder silenciar a voz dos Bispos? Não lhe disseram que esta "chata" instituição remonta a 2000 anos? Não lhe disseram que a Igreja é uma pedra muito dura para as cabeçadas de um chefe? E o chefe falou por si mesmo ou alguém lho ordenou?

Fonte: Club-k.net

NÃO HÁ ALGEMAS PARA A PALAVRA DE DEUS

2. Nada pode silenciar a Igreja, nem polícia nem governos nem partidos, nem armas nem ameaças nem intimidações, nem "ordens superiores" nem tribunais nem prisões nem balas... Tudo isso já foi ensaiado ao longo dos séculos, não resultou.

 

3. A polícia (como indivíduos e como corporação) é também objecto do magistério pastoral da Igreja. Os polícias afinal são cristãos. Qual Bento VI (será o XVI?) que elogiou? E em ano foi? Nestes últimos dois não certamente!

 

4. A Igreja, ao reivindicar para a polícia melhores condições de trabalhos, melhor eficácia de acção, não está menosprezando ninguém. Antes pelo contrário.

 

5. Vamos ler bem. A CEAST pediu "a melhoria da capacidade de resposta dos órgãos policiais com meios que permitam melhor mobilidade e estímulo para os agentes". Isto é estar contra polícia, meu chefe?

 

6. Será que o tio chefe não quer que seus subalternos trabalhem em condições? Mas, se não for a polícia, quem vai parar os marginais que estão roubando e matando, quem vai parar os justiceiros por mão própria que estão a queimar jovens com pneus ao pescoço?

 

7. Saiba, no entanto, o super-chefe que " não há algemas para a Palavra de Deus"(2 Tm 2,9), nem para os seus arautos.


Por: Pe. Bonifácio Tchimboto.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: