Lisboa – O      Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço, viaja  em breve para  a Glasgow, cidade portuária  da Escócia, no Reino Unido, para tomar parte da  Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática de 2021, também conhecida como COP26. Está  é igualmente a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Clima.

Fonte: Club-k.net 

Para participar na  Conferência sobre Mudança Climática em Glasgow 

Segundo apurou o Club-K,  está agendado um encontro com a Primeira ministra da Escócia,  Nicola Sturgeon, e outros com gestores de empresas internacionais, para capitalização de investimento estrangeiro   para o país.

 

A digressão do estadista angolano a este território  ocorre depois de sucessivos adiamentos, que se vem assinalando desde o ano passado, quando em última da hora cancelou em Janeiro de 2020 a sua participação na cimeira de investimento Reino Unido/África, por razões nunca divulgas oficialmente.

 

Num momento em que os investidores estrangeiros procuram obter garantias de segurança jurídica em Angola, devido a crise de reputação dos seus  tribunais  a viagem de Lourenço estava a coincidir com a data em que a PGR de Angola preparava-se para notificar Adalberto Costa Júnior, a fim de ser ouvido no âmbito do processo movido pelo empresário Rui Galhardo e defendido pelos escritórios de David Mendes, em que o deposto líder da oposição é acusado de uma alegada tentativa de  homicídio.

 

Enquanto a PGR preparava-se para ouvir Costa Júnior, no inicio desta semana, na Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAP), a mesma foi instruída a anunciar que não existe processo contra ACJr. A orientação foi interpretada como destinada a não atrapalhar a digressão a viagem de Lourenço que poderia ser alvo de interpelações no estrangeiro.

 

A estratégia atribuída as autoridades angolanas é levar ACJr a julgamento, comprometer o seu registro criminal, e com isso fica impedido de concorrer as eleições em Angola. 

 

Em Londres, haviam também receios por parte da embaixada angolana, de que a chagada de João Lourenço fosse ameaçada com manifestações da diáspora que ultimamente tem acusado  o estadista  de manipular o Tribunal Constitucional para afastar da corrida das eleições de 2022, o seu principal adversário político  Adalberto Costa Jr. Alguns diplomatas angolanos foram vistos em contactos a desencorajar  a comunidade angolana  local a não realizar manifestações  que colocam em causa a imagem do actual Presidente da República.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: