Londres – Um diplomata angolano foi retido na manha desta sexta-feira (21), quando desembarcava no aeroporto internacional do Dubai, proveniente de Lisboa.

Fonte: Club-k.net

Wilson Gouveia Muquixe era até poucos meses, o adido financeiro do consulado em Lisboa.  No quadro das recentes remodelações que tiveram lugar no ministério das relações exterior, ele foi nomeado para exercer as mesmas funções junto da missão consular angolana no Dubai.

 

De acordo com apurações assim que cessou funções em Lisboa, Wilson Gouveia Muquixe deveria regressar a Luanda para obtenção da sua guia de trabalho; requisitar um visto de serviço junto das autoridades dos Emiratos Árabes Unidos pelos canais  diplomáticos e só assim deveria seguir viagem para o Dubai. O diplomata terá feito ao contrario. Não comunicou ao seu futuro posto de trabalho. Recorreu a uma agencia de viagem em Lisboa que ajudou-lhe a tirar um visto de turismo no passaporte diplomático.

 

Ao chegar no Dubai, os serviços de emigração notaram que o diplomata não observou  os procedimentos, pois estava a entrar naquele país com um visto de turismo para exercer funções diplomáticas, o que constitui uma transgressão.

 

Somente depois da detenção é que comunicou aos seus colegas no Dubai, que de seguida enviaram uma equipa ao aeroporto para lhe prestarem assistência. Wilson Muquixe deverá passar o final de semana no hotel do aeroporto no Dubai aguardando pelo seu repatriamento.

 

Fontes do Club-K, disseram que o diplomata decidiu sair directamente de Lisboa para Dubai, por receio que fosse a ser chamado pelas Procuradoria Geral da República (PGR) respeitante a um processo contra o exonerado cônsul-geral de Angola em Lisboa, Narciso Espirito Santo Júnior sobre descaminho de fundos daquela missão consular. Como financeiro, Wilson Muquixe, é visto como figura chave para o esclarecimento de alegadas irregularidades que ai aconteceram.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: