Luanda - Tive a oportunidade de trabalhar com o actual presidente da UNITA, Doutor Isaías Ngola Samakuva, nos tempos em que a UNITA lutava com todos os meios ao seu alcance para que pudesse evitar a sua destruição, na resistência em busca de uma nova nação, em que ele era o responsável do partido junto de alguns aliados, nos anos 1985. Era também o responsável, nos anos 1994/98, na comissão conjunta, político/militar e representava o presidente do partido, Doutor Jonas Malheiro Savimbi e a organização, junto do governo da república de Angola, cá em Luanda e eu era o homem do presidente no Bailundo/Andulo, o elo permanente, nas telecomunicações.

Fonte: Club-k.net

A Frente Patriótica Unida é um ganho imenso para o país

Depois do reinício das hostilidades militares, em 1998, dezembro, dia 5, o Doutor Samakuva exila-se em Paris, França, de onde retoma o contacto com a direcção do partido, na pessoa do presidente Savimbi, tendo-me a mim como o homem de contacto, a única ponte entre o exterior e o interior do país.


Foi ainda este homem que assumiu o refazer do partido UNITA, quando falece o presidente fundador.
Foi este homem que revitalizou o partido UNITA e sempre se manteve firme aos seus ideais de hombridade!


Todos os angolanos o conhecem.


Alguns melhor que os outros; mas sempre foi um homem de realizações!


É muito pesado ver este homem, de grande tamanho e trato fino; um embaixador e um homem da política, que viveu em situações de aperto diplomático e militar ter em praça pública, exposta, uma agenda não sua, de permanência num ambiente que já deixara, depois de missão muito bem cumprida, uma agenda exógena, quando todos os angolanos sabem, por que consequências ele teve de assumir os renovados cargos.


Os olhos e os sentimentos de todos os angolanos, e são todos aqueles que esperam, que acreditam da UNITA um grande empenho, estão voltados aos vossos actos!


O momento político tem a UNITA no centro do furacão e o presidente Samakuva ou man'Samas, responsabilidades únicas e que superam meras emoções daqueles que, alegadamente, o estimam pessoalmente!


O presidente da UNITA, deposto pelo tribunal constitucional, segundo o acórdão 700/21, Engenheiro Adalberto da Costa Júnior, soube estender um amplexo patriótico à todos meandros, humanos, deste país e soube instilar a marca da esperança de vida próspera, nos que se sentem esquecidos e nos que recordados somente vivem da esperança, sempre a esperança, de deixarem de ser um número no instituto nacional de estatística ou a sombra de um voto que fora da urna nunca é contabilizado.
O calor, a vitalidade e o querer dos homens, está, ainda ao rubro, e pretende manter-se assim, porque viram o túnel de onde vinha a luz que iluminava o seu caminho e não era um comboio em sentido contrário... Não era mais um Imbróglio, mas sim o começo do plantio de onde, o mais breve possível, todos os angolanos veriam os frutos de suas obras para um futuro que permitisse animar a ciência, o saber, os negócios, e o trabalho, a propriedade privada e a garantia de saúde. A religião e o amor ao próximo!


Brilhou aquela luz e deve voltar a brilhar! Pois, era uma luz de todos, sem partidos, sem escolhos: era a vontade e o renascimento de unidades de força que pareciam unir a nação. Até mesmo o criar e um brotar de esperanças onde havia divisões.


Isto tudo mostrou que a vitalidade de Angola ainda está no profundo de cada um dos angolanos.
Os homens e mulheres desta terra ainda não brotaram para a construção de um Estado, que alimente, na lei, na liberdade e na paz, os cidadãos, os compatriotas e irmãos, que tudo possam fazer para todos e dos factos diários crescer.

Este país é cada vez mais nosso e merecedor desse esforço.


Não pode haver uma Angola de um ou de outro partido político ou até de senhores, que de sua própria graça, salvos pela ilegalidade ou pela suspeição, pretendam falar em nome deste povo nobre e de história marcante!


As instituições da política, do direito, ou da legislação, da governação; as instituições do Estado devem fazer por merecer o respeito, ganho e verificado, dos angolanos e não, supostamente, exercer a sua actividade contra a população a que, supostamente, serve.

A frente patriótica unida é um ganho imenso para um país onde se pretenda a modernidade e a política como uma actividade cidadã!


Onde se deseje acabar com actividades obtusas e opacas da política, do social, da falta de harmonia entre os homens e mulheres desta terra, numa farsa de bem estar e num país que grita por socorro...


Até ao dia 5 de outubro de 2021, havia no ar desta terra, uma aura de alegre pertença a este país!


Havia ânimo, vigor, esperança e, em cada cérebro angolano surgia desafogadamente, uma imagem de uma Angola outra, com novo figurino e outra têmpera.

E depois, foi neste dia, que desabou, sobre as mesmas linhas de força de esperança, a desesperança e a dúvida!


Agora, olhamos todos para o Doutor Samakuva, todos aguardamos e também nos recordamos que este homem soube no passado ver que Angola era mais do que parecia e que os seus filhos querem um futuro que não dependa da vontade errada dos homens, mas sim que se criem instituições que norteiam a esperança, a legalidade, a legislação, a segurança, e que o Estado democrático e de direito seja uma constante no respeito, que venha da dignidade e do serviço públicos, e da entrega ao bem estar das comunidades.

Doutor Samakuva, estás no centro do furacão Angola conta contigo!


Os homens passam mas ficam as suas obras, que tanto podem ser dignas de respeito e de admiração, mas também podem ser como uma marca horrenda, que não se apaga e desonra a nossa história e o nosso passado, e toda a nossa existência.


Que Deus lhe abençoe, nas suas lides diárias, no tempo, SUFICIENTE, que aí for permanecer e vos dê saúde e força para longos anos de vida, em família!


Bem haja a nossa Angola.

Comandante Kate Hama
26 de outubro de 2021

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: